20
março
2015

Enxaqueca – informações e a minha experiência

Postado por Ana em Saúde

Vocês sabem a diferença entre dor de cabeça “normal” e enxaqueca? Basicamente, esta última dá uma dor mais incapacitante – você não consegue continuar fazendo as coisas, tipo trabalhar. A dor pode durar de algumas horas até alguns dias. Geralmente ela é mais localizada, por exemplo, só em metade da cabeça. E, por fim, é bem mais acompanhada de sintomas como fotofobia (a luz incomoda horrores), fonofobia (qualquer barulho incomoda horrores) e enjôos/vômitos.

baerchen

Outra coisa que é mais típica da enxaqueca é a chamada “aura“, apesar de ser mais comum não tê-la do que ter! Aura é tipo um sintoma super esquisito que precede a dor: pode ser um cheiro estranho que você sente. Pode ser alguma alteração abrupta no seu humor. Pode ser algo esquisito na visão: vagalumes brilhantes que aparecem, ou até perda temporária da visão. Outra coisa típica da enxaqueca é o gatilho – aquilo que te provoca a crise. Nem sempre dá pra identificar, mas alguns gatilhos comuns são: vinho, queijo, exercício físico, estresse. E por fim – sabe de outra coisa super comum nesses casos? História familiar – outras pessoas da família também costumam ter. E … sexo feminino. Aliás, pílula anticoncepcional costuma aumentar a frequência em quem já tem. Uma coisa clássica da enxaqueca é que os remédios para dor de cabeça comum (ex: paracetamol) não costumam funcionar. Usam-se outros, como naproxeno, ibuprofeno, etc, que aliás têm várias contra-indicações, então não use sem indicação médica. E, para você ter chance de evitar/cortar a dor, você deve tomar esses remédios de preferência durante a aura (se você tiver e se perceber), antes de começar a doer. Para quem sofre com perda da qualidade de vida devido a episódios muito frequentes, existem tratamentos profiláticos a serem prescritos pelo neurologista. E, se você conhece os seus gatilhos, evite-os se possível.

hemia

Enxaqueca & eu

Agora minha experiência pessoal com essa dita-cuja – eu tenho uma história familiar forte de enxaqueca e me considero até bem sortuda pela frequência que apareceu em minha vida. Os episódios que tive conto nos dedos de uma mão. Lembro em alguns casos isolados em minha infância, como por exemplo uma vez após apertar o aparelho no dentista ou outra vez após ser assaltada. Começava com aura – eu só sabia que havia algo esquisito com minha visão mas não sabia identificar o que era. Depois vinha uma dor horrível que me jogava à cama, no escuro, levemente nauseada. Eu observava que minha irmã tinha enxaquecas bem mais frequentes, desencadeadas por exercício físico extenuante. Ela teve, por exemplo, que parar de fazer capoeira, pois toda santa vez era a mesma coisa – e a dela era pior, pois ela vomitava muito.

Achei que ia ficar cega

ogrito

Eu só não imaginava que as coisas iam mudar um pouco por agora. Assim, eu sempre fui meio sedentária, mas tenho me exercitado mais no último ano. Tenho corrido com frequência – e corrida, para mim, é um exercício extenuante. Eu fico BEM cansada e chego em casa vermelha, um caco. Daí, um belo dia ano passado, cerca de 1 hora após correr, assistia televisão e comecei a ver que havia algo estranho com a legenda. “Algo estranho com a visão que você não sabe explicar o que é” costuma ser problema de campo visual. Foi piorando, piorando e resolvi testar meu campo: o campo visual inferior do olho esquerdo SUMIU completamente. Imaginem o meu pânico nessa hora. Meu marido achou que eu estava dando um piti hahahahhaa e falou: ôooo, calma, vem aqui. E eu: PQP meu filho, sou oftalmologista e se estou te falando que meu campo visual inferior do olho esquerdo sumiu, é porque SUMIUUU aaaaahhhh. E mesmo assim ele achava que era piti meu, porque eu tenho a reputação aqui em casa de ser hipocondríaca e dramática. #guilty kkkk Foi nesse nível – pensei no pior. Mas daí me veio um segundo de consciência e pá, lembrei na hora de enxaqueca e me recompus, esperando ansiosamente pela chegada da dor de cabeça. A perda visual não durou mais de dez minutos (como deve ser nesses casos). Daí depois chegou a dor de cabeça, bem localizada – a melhor dor de cabeça que já senti na vida, pois confirmou que era “só uma enxaqueca”. Daí semana passada aconteceu isso de novo após uma corrida. Acho que minha frequência vai ser uma enxaqueca a cada 40 corridas, algo assim. Não quero parar de correr, mas isso meio que mina meu sonho da meia-maratona, por exemplo – a não ser que eu progrida a passos de tartaruga anêmica. E outra, dependendo do episódio pode acontecer perda permanente no campo visual, de alguns pontos. Alguns colegas me tranquilizaram em relação a isso, mas, bem, está nos livros. Dá um medinho de arriscar…

Não custa lembrar: se tiver sintomas de enxaqueca, principalmente se forem novos ou mudarem de característica, um médico deverá ser consultado, inclusive para excluir outras condições mais graves que podem causar sintomas parecidos.

Desde que vinho não passe a ser um gatilho, eu não reclamo muito, prometo. hahhahaha E vocês, têm experiências com a dita-cuja?

P.s: coincidentemente após escrever o post fui ler as news na Spiegel e vi uma reportagem (vídeo) interessante sobre enxaqueca na Alemanha, o problema grande que ela representa e sobre o tratamento com Botox. Pra quem entende alemão, está aqui o link.

Beijos !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  1. Luciana Vilela 20/03/2015 às 10:09

    Oi Ana!
    Nossa, me identifiquei muito! Meu pai tinha enxaquecas horríveis e durante um tempo na minha vida eu tive também, coincidiu com uma fase estressante na faculdade, e eu via esses vagalumes aí!!! Aliás, a tal da faculdade desencadeou um bocado de coisa em mim, credo!!!
    Nas minhas crises eu tinha que ficar no escuro total, e vomitava muito. Agora estou vigiando minha caçulinha: ela teve alguns episódios de dor de cabeça e vômito, e estamos relacionando a alguns cheiros (ela tem uma sensibilidade aguçada em relação a cheiros), que desencadeiam a dor de cabeça forte a ponto de vomitar…
    Triste isso, só quem passa sabe…

    • Ana 20/03/2015 às 12:21

      Ai que chato, Lu. Estresse realmente pode desencadear. No meu caso, dá mais cefaléia tensional mesmo, exceto no caso do assalto, que foi um pico de adrenalina tão grande que deu enxaqueca mesmo. Eu já fiquei bem enjoada, mas graças a Deus vômitos não cheguei a ter. Espero que sua caçula pare logo de ter isso, tadinha…. Bjos

  2. Ana Luiza 20/03/2015 às 10:45

    Me sinto sortuda por não ter enxaqueca! Tive poucos episódios de dores de cabeça quando era mais nova, mas SEMPRE era por causa da alimentação. Hoje já “aprendi a comer” e nunca mais tive uma dorzinha sequer.
    O que tá pegando é que eu fui procurar o tal do teste do campo de visão no Google e resolvi fazer aqui, e descobri que eu basicamente não tenho campo de visão !! ?! ?!? ?!
    Conte-me mais sobre esse teste, espero que eu tenha feito errado! Rs

    Beijos!

    • Ana 20/03/2015 às 12:23

      Dor de cabeça “comum” eu tenho vez ou outra – se fico mto tempo sem comer ou sem me hidratar, é batata, ela aparece no fim do dia.
      Mas calma haha se vc lê o blog, vc tem campo visual. Campo visual é tipo a sua área de visão, existem testes rápidos, teste com aparelhos mais especificos, mais indicados pra quem tem alguma doença tipo glaucoma – calmaaaa, isso nao é algo pra ver na internet, vc acaba entrando em pânico a toa hehe

  3. Alice 20/03/2015 às 12:00

    Oi Ana!
    Tenho crises esparsas de enxaqueca e também achei que estava ficando cega na primeira vez que tive!!! Foi péssimo! Já tive dormência nos dedos e no rosto tambem!
    Nossa, só de pensar na enxaqueca já fico enjoada… E eu praticamente criei uma certa fobia de luz intensa!
    Infelizmente nunca consegui identificar esse tal gatilho. Acho que pode ser por estresse (estudo pra concurso) e pelo fato de tomar anticoncepcional. 🙁
    Meu sonho é inventarem um remédio eficaz pra essa dor…

    • Ana 20/03/2015 às 12:25

      Nem sempre o gatilho é tao óbvio … enxaqueca é dessas doenças “misteriosaS”. Se vc tem enxaqueca recorrente, costuma até ser contra-indicacao pra usar hormonio, viu? Veja com seu médico isso…
      Cura milagrosa nao tem, mas tem mtos tratamentos hoje em dia, inclusive profilaticos. Quem costuma passar o tratamento é o neurologista. Bjim

      • Alice 20/03/2015 às 17:43

        É, já fui em neurologista investigar isso, mas ele não me ajudou muito.
        Aliás, se tiver um BH pra me indicar.. 🙂
        E minhas enxaquecas são meio doidas, num mês posso ter 2 crises, aí fico 3 meses sem ter..e por aí vai..

        • Ana 21/03/2015 às 17:02

          especialista em enxaqueca que sei em BH é o dr henrique carneiro! tem site dele qdo joga no google
          acho que sendo enxaqueca nao tem mto o que investigar.. é mais pra fazer um tratamento profilatico se estiver mto frequente, atrapalhando qualidade de vida, etc

  4. Meri 20/03/2015 às 12:46

    Tenho ódio, ódio de enxaqueca! Eu também tenho uma fobia de luz forte. Meu marido está até desconfiado que sou vampira, porque sempre fecho todas as cortinas da casa! haha…Acho que o meu gatilho é estresse, mas controlar o maldito não é nada fácil também, né?

    • Ana 22/03/2015 às 12:10

      pois é, cadê essa fórmula mágica de controlar o estresse? a gente pode até controlar por fora, mas qdo algo externo está “estressante” o corpo nunca deixa passar 🙁

  5. Isabella Chaves 21/03/2015 às 02:12

    Ainnnn! Esse post eu não podia deixar de ler! Meu post! Rsrsrs tenho crises homéricas de enxaqueca desde os 8 anos… E o mais engraçado é que aprendi a viver com elas! Agora mesmo estou em crise… Durmo e acordo durante dias com uma dor terrível na cabeça acompanhada de náuseas enlouquecedoras! Minhas fotofobia e fonofobias são bem críticas tb! Rsrsrs mas ainda bem que nunca tive perda de campo visual, imagino o desespero, Tina!!

    • Ana 21/03/2015 às 16:59

      Vixi! E eu achando que minha historia familiar era só do lado da minha mae!!

  6. Sandra 22/03/2015 às 13:15

    Nossa, não imagino o que seja uma enxaqueca, mas pelo que ouço, deve ser mesmo uma dor terrível! Por sorte eu senti/sinto pouquíssimas dores de cabeça na vida. Quanto a corrida, ai ai… preciso me libertar da minha preguiça e começar uma atividade física frequente. Bjs

    • Ana 23/03/2015 às 06:25

      a minha dor não é das piores, ruim mesmo sao os sintomas de fotofobia, por exemplo.
      mas pelo menos nao é frequente pra mim, ainda bem bjos!

  7. Raquel 23/03/2015 às 13:48

    Que coincidência!
    Nunca tinha tido enxaqueca, semana passada tive um estresse homérico e acordei com perda de campo visual e “vagalumes”… Aaaai que desespero! Achei que meu astigmatismo tinha horrorizado da noite pro dia!
    Pior que fui me tocar da maldita enxaqueca só depois de ter recuperado a visão hehe
    Depois da aura, a dor em si veio só no dia seguinte a noite!
    Daí veio pra valer!
    Obrigada pelo post esclarecedor hehe
    Beijos

    • Ana 23/03/2015 às 13:54

      Nossa, coincidência mesmo!! Pelo menos sua crise não foi após ler meu post, senao vc ia ate achar que tava sugestionada haha É desesperador mesmo, principalmente a primeira vez em que a gente nao tem certeza do que esta acontecendo. Bjim