09
outubro
2017

Em algum lugar do mundo eu tinha razão

Postado por Ana em Alemanha, Coisas da Ana

Olhem só a história. Lá estava eu com 3 ou 4 anos de idade (sim, eu me lembro de TUDO) na cama da minha mãe com minha irmã. Nós tínhamos o costume de assistir Moranguinho e A Noviça Rebelde, tipo mil vezes e repete – coisa de criança, né?! Daí que em um desses momentos, não sei como, afirmei que segunda-feira era o primeiro dia da semana. Para mim era tão óbvio isso – era o dia que a escola começava. Minha irmã, como sempre bem-sabida, já foi logo dizendo que eu estava errada e que domingo era o primeiro dia da semana. Eu lembro que achei aquilo tão absurdo! Repeti que ela estava errada e quando a mamãe voltasse ela ia concordar comigo. Pois eis que mamãe volta e diz “na verdade o primeiro dia da semana é domingo“.

Quem vê minha cara agora não imagina a capeta que eu era. Quando ouvi isso iniciei um dos meus memoráveis pitis, chorei, dei um dos meus pulos de 1 metro de altura, e dizia “VOCÊS VÃO TEERRRR QUE FALAAAAR QUE É SEGUNDA! É SEGUNDA! É SEGUNDA!”.

Gente, essa cena foi marcante num nível que eu nunca esqueci. Pois enbarquemos no tempo e uns 25 anos depois: já residente neste país das salsichas, por um acaso vejo que por aqui o primeiro dia da semana REALMENTE é segunda-feira. E mais: não somente na Alemanha mas em vários outros países do mundo (na Europa quase toda) e mais: segundo a definição do ISO 8601, segunda-feira é o primeiro dia da semana! Rá! A definição de domingo como primeiro dia é típica de calendários hebreus e cristãos tradicionais.

Já tem um anos que sei disso, mas lembro a lavada de alma que foi! rsrsrs

Curiosidade 2: a lua também muda

Isso eu percebi há relativo pouco tempo enquanto marido e eu observávamos a lua. Eu notei que algo não estava batendo: o que eu aprendi como lua crescente ele estava chamando de minguante. Daquela coisa bem básica que a gente aprende com a tia da escola, sabe? E quando olhamos no google descobrimos que o formato da lua crescente e decrescente muda se você está no hemisfério norte ou sul. E do equador ela também é diferente. Agora me parece óbvio, vocês podem estar me achando bocó, mas nunca tinha pensado nisso. Talvez por eu não ser muito ligada em astrologia, tipo, achei que era touro grande parte da vida, sendo que era áries, kkkkk!
No Brasil, a luz com forma de “c”, é crescente e com forma de “D” é minguante. Aqui tem uma regrinha também, a lua com formato de “a” cursivo (seria a curvinha do nosso C) é minguante (“abnehmend”) e com formato da parte de cima do Z cursivo (esquivalente ao nosso “D”) é crescente (“zunehmend”). Ou seja, tudo ao contrário. Já no equador a lua está meio deitada e aparece como uma barca ou arco.

regrinha no Brasil

regrinha na Alemanha

Curiosidade 3: preencher envelope é diferente

Eu sei que já deve ter gente em pânico com meu post e vou piorar mais um pouco! Mas lembram quando a gente aprende na escola a preencher envelopes bonitinho? Remetente aqui, destinatário acolá. Pois pasmem! Isso também é diferente aqui, olhem só meu esqueminha:

Está explicadinho na página dos Correios alemães, a Deutsche Post!

Engraçado que aprendemos verdades absolutas na infância e daí do nada, basta mudar um pouco o ponto-de-vista que tudo muda. Isso me deixou pensativa – primeiro, a gente nunca deve aceitar verdades sem procurar saber por conta própria. Segundo, a gente tem que ter cuidado em tomar “verdades” como eternas. E terceiro, vou plagiar o Steve Jobs: “stay hungry, stay foolish“. O mundo está lotado de conhecimentos invisíveis aos nossos olhos … podemos obtê-los se nos mantermos abertos a eles!

Beijos!

07
outubro
2017

Cenas de Philadelphia e NY

Postado por Ana em Viagens da Ana

Eu nunca tinha estado em Nova Iorque! Até eu mesma achava esquisito pois sempre achei que eu seria “a pessoa mais NY do mundo”! Aqui tem uma música famosa chamada Ich war noch niemals in New York (significa “eu nunca estive em NY”) e eu cantarolava essa música meio que me identificando, hehe! #dramática

Meu cunhado se mudou para a Philadelphia este ano, então foi a oportunidade perfeita! Fomos então visitá-lo numa época ótima – setembro – e claro que demos uma esticadinha até NY! Fui com a família alemã e foi meio engraçado conciliar minha primeira viagem a NY (com tudo o que sempre sonhei em ver, comer, etc) com pessoas diversas. Mas não é que deu certo? Consegui fazer muito do que queria. A visita à NY coincidiu com a reunião da ONU e, talvez por isso, eu meio que atingi meus limites de urbanidade.

Era um continuum de buzinas e ambulâncias. De forma que meu medo de “querer morar em NY” passou no primeiro segundo. Acho que envelheci e agora tudo o que eu quero é uma casinha tranquila com jardim. Vai entender, né? 🙂 Olha, eu comi muitas coisas “famosinhas de internet”! Mas o que me impressionou mesmo foi a sopa do Soup Nazi – só não se esqueçam que sou uma maluca por sopas!!! E quem nunca assistiu o episódio do Soup Nazi de Seinfeld, faça-se esse favor!

Luke’s Lobster, Gray’s Papaya, Magnolia Bakery e Artichoke Basille’s Pizza

Mas sensacional mesmo foi a sopa do Soup Nazi

Uma coisa que AMEI em NY foi assistir o musical Cats na Broadway. Quando eu tinha uns 10 (!) anos eu amava assistir The Nanny e morria de curiosidade de ver o tal musical que o Mr. Sheffield desprezou, hahaha! Eu achei apaixonante (já conhecia o enredo e as músicas), os artistas são muito incríveis, as coreografias, tudo! Marido não ficou muito impressionado, acho que ele ficou meio de mal porque queria ver The Book of Mormon em vez de Cats!

O Flat Iron foi o prédio que achei mais bonito em NY

Um clássico, para ver da primeira vez e pronto, haha

Central Park, um parque municipal grandão

Já em relação à Philadelphia, eu só sabia que queria muito ir para a escada do Rocky e correr igual o dito cujo. Vejam vocês o resultado:

Um ponto alto da Philadelphia foi uma coisa bem simples – o Reading Terminal Market – eu fiquei enlouquecida com as comidinhas lá. Aliás, algo que comi muito nos EUA foi o sanduíche de pastrami! Também amei o quanto Philly se tornou barata quando retornamos de NY! hahahaha Uma coisa legal é que a cidade serve para pano de fundo para vários filmes, foi impossível não chegar e casa e rever as cenas iniciais de Philadelphia e ficar “estive lá! e lá! e lá!”! 🙂

City Hall, Philadelphia

Entrada do Magic Gardens, Philadelphia

Philadelphia Reading Terminal Market

Penn Treaty Park na Philadelphia

Sanduba de Pastrami: Comi isso umas três vezes

City Hall

Elfreth’s Alley, a rua residencial mais antiga dos EUA

Foi muito legal também conhecer a pequena cidade de Princeton e a respectiva universidade. Impossível não se sentir em um seriado americano!

O lindinho campus de Princeton

Bom…. a julgar pelo post de Barcelona, acho que as minhas extensas dicas turísticas não seriam lidas, então dessa fez resolvi só fazer este breve relato fotográfico com alguns momentos! Mas se quiserem saber algo específico, podem perguntar nos comentários!

Beijos já querendo mais férias

06
outubro
2017

Dica de espuminha pros pés secos – Balea Schrundenschaum

Postado por Ana em Geral

Meus pés são bem secos e isso é meio agravado porque piso “para dentro”, daí se distrai um pouco fica um cascão! kkkk Lembro que comecei a usar creme pros pés em 2009 e regularmente mesmo em 2010 (contei aqui). Já há alguns anos faz parte da minha rotina pós-banho noturna. Eu já passo, calço as meias (exceto se for no verão). Já testei muuuuuuitos cremes diferentes e sempre gostei muito dos da Balea e da Dr. Scholl, já devo ter usado todos que existem na DM! Este ano começou a me incomodar um pouco que cerca de 20 minutos após passar os cremes os pés já estavam com sensação de secura de novo!! Eu atualmente nem posso me dar o luxo de esquecer de passar porque meu pé começa a roçar no sofá, na coberta, etc, e MORRO de gastura!! 🙂

Daí fiquei olhando nas prateleiras da DM o que poderia ser mais forte – vi e comprei essa espuminha e não é que funcionou? Tem escrito que “cuida fortemente de pele muito seca e queratinizada”, por isso levei. No começo fiz um pouco de bagunça porque tentava aplicar direto no pé e daí caía no chão, etc. Mas depois comecei a dosar na mão (apertar só um pouquinho) e então passar nos pés. Tem a vantagem de absorver mais rápido que o creme também. E dura pelo menos até o dia seguinte!

Confesso que estou meio indisciplinada com outros cuidados, como o rolinho do Dr. Scholl, lixas e afins. Acho que no fim das contas o que faz diferença mesmo é meu uso de cremes. A Balea é a marca baratex da DM – a espuminha custou 2,45 euros. Deixou muitos cremes que já usei da Dr. Scholl (bem mais caros) no chinelo! Tem também um cheirinho gostoso, leve, na medida certa! Achei mais forte mesmo que os cremes – e diabéticos também podem usar.

Pareceu creme, mas é espuma mesmo .

Fica a dica, aprovadíssimo! Aliás, para quem vem só visitar a Alemanha, minha dica é entrar em uma DM e go crazy!!! Minha loja favorita, porque amo produto BBB!


Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 9 de 281567891011121314