07
setembro
2014

Protegendo as malas de viagem (contra furto e perdas)

Postado por Ana em Dicas, Viagens da Ana

No quesito “malas” eu dei uma sorte danada nesta vida. Já viajei bastante e nunca fui roubada, e olha que na maioria das vezes eu viajava com mala sem cadeado. Já aconteceu de minha mala ficar pra trás duas vezes, mas sempre chegaram com tudo dentro. Acho que é porque era uma mala mais velha que a outra, então os ladrões nem ligavam. hahaha Se você me acha doida por ter viajado sem cadeado na mala, veja o vídeo abaixo:

Ou seja: cadeadinho ou cadeadão em zíper solto não protege nada não. Eu testei aqui em casa antes de fazer o post e é MUITO fácil fazer isso. Foi quando vi este vídeo que resolvi comprar o único tipo de mala “imune” à chamada “cesariana”: são essas com cadeado embutido. Porque os fechos são presos ao cadeado, então se alguém faz uma cesariana não consegue puxar para fechar de novo. Todas essas malas têm também um dispositivo que permite que a segurança dos aeroportos abra sua mala se precisar (ninguém vai deixar de abri-la se houver suspeita, ainda que signifique estragá-la).

samso1Essa minha mala é uma simples da Samsonite, não sei o modelo mais.

Seguem as principais coisas que faço atualmente para aumentar a chance que minhas coisas cheguem em segurança:

1) Claro, identificar sua mala com um tag contendo nome e endereço.

2) Como várias pessoas têm malas parecidas, a primeira coisa é identificar sua mala com coisa única. Fitas, adesivos, etc. Eu tenho mania de pregar adesivos tanto na alça principal quanto na frente (e eles nem descolam). Na última viagem um senhor pegou minha mala da esteira, olhou, olhou e custou a colocar de volta. Quase baixou um Sheldon em mim e deu vontade de ir até ele perguntar: “Com licença senhor, você está confundindo com a SUA mala com adesivos da Hello Kitty?“.

maladesiv

3) Outra coisa importante é tirar uma foto das malas antes de viajar. Eu fazia isso primeiramente porque eu mesma às vezes esquecia quais eram minhas malas. Viajava às vezes com três malas diferentes, emprestadas da irmã, etc. E, em segundo lugar, se sua mala não chegar ao destino vão pedir para você descrevê-la. Já aconteceu comigo. Tudo bem que tem o código da bagagem colado ao seu cartão de embarque (tire foto dele também, assim que receber). Mas vai que você perde? Então, melhor que descrever é mostrar as fotos.

4) Envolver de plástico tem seus poréns: Eu já usei muitas vezes aqueles serviços no aeroporto de envolver a mala toda de plástico. É realmente um estímulo a menos para um eventual ladrão, pois dá um trabalho danado abrir. Só que, se a mala cair na triagem do raio X ou se acharem algo com aspecto suspeito, eles vão abrir no aeroporto mesmo sem a menor parcimônia e ela vai percorrer o trajeto todo desprotegida. E por que um ladrão não poderia fazer o mesmo no meio do caminho? Não tem como você saber quem abriu. Acho que só vale a pena se for para proteger a própria mala (vai que você tem uma mala-xodó).

5) Pense como um ladrão: qual mala tem maior chance de ter coisas de valor dentro: uma Louis Vuitton ou uma mala velha surrada? Se você quer segurança mesmo, evite malas que demonstram muito status sem oferecer o mesmo em termos de segurança. Se quer uma mala boa e cara, escolha algum modelo mais resistente e seguro. Exemplo: modelos duros da Samsonite, Rimowa, Delsey, etc. Mas sabendo que tudo que é mais caro chama mais atenção de ladrão, óbvio.

paris

rimowa1Da Rimowa eu tenho uma pequena, Salsa Air. A melhor compra envolvendo viagem que já fiz. Mas sempre vai comigo na cabine.

6) Atenção na esteira: Também existe ladrão em forma de passageiro. Infelizmente não é exigido comprovante de bagagem para deixar a sala de desembarque e eu acho isso um absurdo! Então só vá para o free-shop depois de pegar sua mala!

7) O óbvio: coloque coisas pequenas de valor (jóias, relógio, dinheiro, tablet) na mala de mão. Tudo bem que você pode ter uma Hermés de 30 mil reais na mala, mas você concorda que é muito mais difícil de alguém roubar uma coisa grande na surdina?

8) Se pegar a mala na esteira e ela estiver com aspecto estranho, adulterado, confira tudo antes de deixar a sala de desembarque. Sem medo de parecer farofão, abra ali no saguão mesmo e confira. Se notar a falta de alguma coisa reclame ali mesmo. Saiu, perdeu!

É isso! Espero que vocês tenham gostado das dicas!

Beijos e Auf Wiedersehen!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  1. Fernanda/PR 07/09/2014 às 10:56

    Ana! Que post legal! Acabei de voltar da Argentina (27/08) e extraviaram a mala do meu marido! (Ela chama atenção, mas ele comprou numa mega promoção no Paraguay, da marca Wilson! kkk) Chegou cinco dias depois, faltando: vinho, camisa, perfume e temperos (sim! fomos num mercado e compramos alguns vidros de temperos diferentes), além de terem aberto TODAS as lembrancinhas… Achamos que ficamos no lucro! Não sabíamos nem se a mala iria voltar! Não vamos cobrar esses pertences pq não temos como provar que estavam na bagagem! O que vc acha das tais “declaração de bagagem” na hora do chek in? Já fez? Será que abrem e conferem calcinha por calcinha?? hahaha… Acho que é a única forma de provar o que tinha dentro, não?

    • Ana 07/09/2014 às 11:18

      Ai Fernanda, que chato!!! As duas vezes que minha mala “não chegou” foi deixada para trás de propósito por conta de conexões apertadas, então não é tão ruim. Uma vez foi pela KLM e eu tinha 3 malas sem nenhum cadeado, repletas de lembrancinhas, chocolate, etc. Na hora que chegou eu pulei em cima desesperada, mas graças a Deus não roubaram nada. Por todas as histórias que escuto reconheço que dei muita sorte, porque já voei uma centena de vezes. Não conheço essa declaração de bagagem, mas de qualquer forma no próprio check in eles orientam a colocar coisas de valor na bagagem de mão. Acho entao que se você falar que tá levando notebook, camera, etc, corre o risco é de ter que assinar um termo eximindo a companhia de responsabilidades… kkkk E fora que, para fazer isso, é melhor ter nota fiscal de TUDO, pois pode ser um meio de delação para a alfândega. Agora tento pelo menos fazer a minha parte para não chorar depois, mas a verdade é que somos muito desamparados nessa área. Bjim

  2. Débora 07/09/2014 às 11:06

    Chocada!

    • Ana 07/09/2014 às 11:20

      Atenção redobrada com suas malas para os States. Rs!

  3. Elisa 07/09/2014 às 14:59

    Nunca tive problema com malas em viagens internacionais, meu único problema foi, por incrível que pareça, em um trecho Brasília – BH.
    Acho que o povo que trabalha com malas em Confins achou que havia algo de valor na minha mala, arrebentaram o cadeado (um da Papaiz que a gente compra em chaveiro), reviraram tudo (bolsinha de cosméticos, maquiagem) mas não tiraram nada. Minha mala foi a última a ser colocada na esteira, quando todos os outros passageiros já tinham ido embora, e quando a peguei vi que o cadeado tinha sido arrebentado e na hora fui falar com um funcionário da companhia, Avianca.
    Abri a mala, vi que estava tudo revirado e mostrei para ele. Na hora achei que estavam faltando alguns produtos de maquiagem e disse isso.
    Ele então pegou a mala para pesar, ela estava uns 400 g mais leve do que o peso da etiqueta.
    Então depois das típicas mil ligações para o supervisor eles me ofereceram cem reais para eu encerrar o assunto.
    Como a maquiagem que eu achei que tinha sido roubada valia mais, não quis os cem reais e fui fazer BO no escritório da Polícia em Confins.
    Quando cheguei em casa e fui arrumar minhas coisas, vi que não estava faltando nada, a maquiagem que eu achei que tinha sido furtada estava misturada com as roupas.
    É claro que nunca tive notícias de que a Polícia tenha feito alguma coisa, e é claro que a Avianca nunca me ressarciu (pelo menos pelos transtornos). Disseram que não têm responsabilidade sobre as pessoas que tiram as malas do avião e as colocam na esteira, são contratadas pelo aerporto e não pela cia.
    É claro que a desculpa é furada e etc., mas tomar alguma outra medida para compensar o transtorno iria me trazer mais prejuízo do que deixar tudo como está, e foi o que fiz.
    Só nunca mais voei de Avianca, e também não pretendo fazer isso. Além do meu único problema desse tipo ter sido em voo da Avianca, deu para ver que os funcionários da cia., pelo menos em Confins, são de um amadorismo total. Completamente despreparados, não sabem o que fazer quando acontece qq tipo de problema.

    • Ana 07/09/2014 às 15:28

      Que bom que no fim das contas vc nao teve preju material ne? Para destruirem um cadeado e revirarem a mala toda (ou seja: sabiam que vc ia notar de cara) é porque têm certeza absoluta que nao serao punidos. Nisto estamos totalmente desamparados. Com o cadeado embutido pelo menos teriam que colocar a mala toda aberta na esteira e para isso haja cara-de-pau. Tenho fé que nao terao tamanha cara de pau, porque direitos parece que nao temos mais nenhum. Bj

  4. Ana Luiza 07/09/2014 às 16:08

    Tina, meus pais tem uma mala igual a essa da foto, mas o cadeado embutido travou e ele conseguiu soltar o cadeado com um canivete rsrsrs nem essa ai salva!

    • Ana 07/09/2014 às 16:20

      To indo viajar tranquila entao. Hahahahhahaha que m*. Bom, vou juntar umas moedas e comprar uma Rimowa grande entao, porque quero ver alguem canivetar um cadeado embutido de rimowa, ne possivel!!

  5. Luciana Vilela 08/09/2014 às 09:13

    Infelizmente as pessoas mal intencionadas estão sempre à frente de nós, que nesse caso somos totalmente manés. Colocamos cadeados, empacotamos, fazemos tudo que nos dá aquela falsa impressão de segurança, mas eles sempre tem um jeito de roubar assim mesmo. Falta de fé na humanidade mode on 🙁

  6. Ana Luiza 08/09/2014 às 18:33

    A mala “imune à cesariana” não é tão imune assim kkk olha a minha historia: http://fuiroubadaemguarulhos.tumblr.com/
    Tudo bem que fui burrona de viajar com um monte de coisa cara na mala, mas ainda assim, foi aberta provavelmente com cesariana e depois tentaram fechar novamente…

    • Ana 09/09/2014 às 05:03

      Que horror, Ana! Na verdade, o que aconteceu com sua mala ilustra bem o que eu disse no post – ela é imune ao que acontece no vídeo que mostrei, de fazer a cesariana e fechar de novo como se nada tivesse acontecido. Agora, o que eu não poderia imaginar é que algum ladrão ia ter a cara de pau de colocar a mala na esteira no estado que colocaram a sua. Que isso, que horror, toda aberta e escancarada!! E, partindo disso, daqui a pouco tão sei lá, abrindo mala a martelada, explosivo e tá tudo bem. Você NÃO foi burrona de viajar com coisas caras na mala não, são suas coisas ué, fora que bagagem de mão tem limite de peso pequeno. Esse mundo tá todo doido.

      • Ana Luiza 09/09/2014 às 11:44

        Pois é, eu me sinto uma idiota de ter viajado com coisas caras na mala, mas aí penso, que mundo é esse em que EU não posso viajar com as MINHAS coisas (caras ou não) dentro da MINHA mala? É uma inversão de valores grande demais. Se tivessem roubado coisa barata, eu ia ficar revoltada igual!
        Pior é que eu fui tão inocente que quando vi a mala aberta, pensei “nuss, comprei tanta coisa que o ziper não aguentou” kkkk bem pamonha. Depois que fui ver. É revoltante mesmo… mas passa, como diz meu pai “vão-se os anéis, ficam os dedos”.
        Beijos!!!

  7. Ana Luiza 08/09/2014 às 18:35

    E eu não sou a mesma Ana Luiza do comentário anterior! Rs

    • Ana 09/09/2014 às 06:48

      eu sei, eu vejo o e-mail ! A outra Ana é minha amiga … 🙂