27
outubro
2012

Em Porto de Galinhas

Postado por Ana em Viagens da Ana

Quem me segue no twitter deve ter notado que semana passada não estava em BH, mas em sim na maravilhosa vila de Porto de Galinhas. Que lugar maravilhoso, viu? O tempo estava ótimo, uns 28 graus. A praia, com certeza, é a melhor que já fui: linda, água deliciosa …

É uma região cheia de resorts all inclusive, mas estes requerem um táxi para chegar na Vila. Eu pessoalmente prefiro pousada, então ficamos em uma ótima bem na vila, perto da praia e piscinas naturais.

Onde fiquei: A pousada chama Porto&Mar, é muito boa, mas só senti falta de um dono ou gerente, alguma pessoa para receber, dar dicas de passeios (igual foi em Paraty, por exemplo). Mas enfim, acomodações ótimas, café da manhã delicioso, tá super aprovada. Só não foi legal sobreviver a última madrugada sem ar-condicionado graças ao apagão que pegou o nordeste.

Para comer: muita gente me indicou o tal de Beijupira – é o restaurante campeão do lugar. Mas como li muitas resenhas na internet falando que o custo-benefício é péssimo (muito caro pro que oferece), acabei não indo. O que fiquei apaixonada mesmo foi com o escondidinho de um restaurante chamado Barcaxeira. hummmm Tem uma pastelaria na vila que também me enlouqueceu, porque adoro pastéis. :laugh:

Barracas: A praia tem barracas que você pode usar ou pagando 5 reais pela cadeira ou então simplesmente consumindo. A comida nas barracas é bem cara – um camarão alho e óleo com batatata sai uns 70 reais, mas de vez em quando pode né?

O ponto alto: a própria praia de Porto de Galinhas !! Como péssima turista que sou, quando viajo gosto mesmo de ficar em um só lugar. Quando quebro essa regra pessoal me arrependo em 99% das vezes… E sinceramente? A praia de Porto de Galinhas é tão perfeita, que já me bastaria completamente.

Os passeios: existem mil opções de passeios, alguns até para Maragogi-AL. Este último nem considerei, pra mim Maragogi é objeto de outra viagem, se estou num lugar tão lindo, pra que procurar outro? Achei os famosos buggys muito inseguros (você vai solto na garupa; é 20km/h, mas se freia você voa 8 metros) então não animei. Acabei fazendo o passeio pra praia de Carneiros mas não gostei – gastei um dia todo em algo que claramente só tem a intenção de pegar dinheiro dos turistas. Um século pra chegar lá (a van pega todo mundo por uma hora antes de ir), depois um passeio de catamarã que parecia evento de terceira idade, farofão. Ficava mega-rápido em cada locação, parecia atividade de ratinho de laboratório. E por fim, “dão um horário de almoço” pra você gastar dinheiro no único restaurante do lugar. E lá se foi um dia que eu poderia ter me divertido mais em Porto… Carneiros é sim maravilhoso (mas mesmo nível de Porto), mas acho que seria melhor ir por conta própria e alugar uma lancha, aí sim valeria a pena.

O que enche: como toda cidade turística, os vendedores ambulantes se proliferam igual praga. Fora o pessoal oferecendo os passeios o tempo TODO. Como eu já tenho um pouco de experiência, nem dou corda pra eles. “Posso mostrar uma arte sem compromisso?” – “Não, obrigada”. Começam a cantar, já interrompo dizendo “não, obrigada”. Algum homem quer me dar uma flor, já taco um “Não”. Confesso que em alguns lugares isso cansa, mas como disse, é uma praga mundial.

Esportes: desde que me engajei em um relacionamento com um esporte-freak, toda viagem temos que arrumar algum esporte pra fazer (aiai… :laugh:). O dessa vez foi o Surf. Eu sempre tive muito medo de ondas, mas confesso que foi bom perder esse medo na marra. Fizemos aula na escola “Pé de Surf” e gostei muito!! O instrutor era muito bacana e ficava me ajudando a pegar as ondas. Engraçado que tem uma técnica que eu nem imaginava – achava que era só subir na prancha. :laugh: Alguns litros de água engolidos, tomei vários caldos, mas me diverti!!! Só que tive que parar no terceiro dia porque deu mau jeito no meu tornozelo (velha).

Não caia nessa furada: reservar transfer de Recife pra Porto pela internet foi a maior besteira que eu fiz. Empresa super mal organizada, carros desalinhados, e sai mais caro que pegar o táxi que a pousada chama. Não vou entrar em detalhes mas acabei levando prejuízo – a “empresa” é a mesma com posição de destaque no site “Destino Porto de Galinhas“. Ninguém na vila nem conhecia essa joça, então cuidado.

Às vezes eu me empolgo mais nas dicas do que é negativo, pra não caírem em furada, mas eu simplesmente amei o lugar!! Voltaria mil vezes…

Beijos

12
agosto
2012

A última moda em Londres

Postado por Ana em Moda, Viagens da Ana

Adoro esses títulos de post que me fazem parecer uma réporter investigativa de moda. :laugh: Falando da breve viagem para Londres: amei, dei sorte com o tempo! Cidade entupida, pero organizada, bem no estilo inglês. Segurança a mil, a cidade toda parecia um aeroporto – tudo tinha que passar pelo raio-x! Em termos fashion, não pude deixar de reparar que duas marcas de bolsa tomaram conta do cenário bolsístico londrino.

A primeira é a Cambridge Satchel – essa bolsa meio infantil, disponível também em candy colors, que invadiu os blogs de street-style há mais de um ano. A grande vantagem dessa bolsa é o preço – 70 libras esterlinas, o que dá uns 220 reais. Por isso, não é difícil ver lojas com suas versões inspired mais caras que a original (???). O que não faltam, aliás, são as inspired – Arezzo já tem a sua. Eu até hoje não sei o que penso dessas bolsas, se gosto ou não. Só sei que não é meu estilo… Mas enfim, continua super em alta e minha irmã garante que a que eu trouxe pra ela (verde escura) está fazendo o maior sucesso, todo mundo elogia.

Outra marca inglesa está com tudo em Londres – Mulberry, de todos os modelos. Engraçado que a ex-queridinha Alexa eu não vi tanto. E, na minha opinião, a Mulberry tem mil bolsas mais bonitas que a Alexa, inconfundíveis com seu fechozinho dourado com a arvorezinha.

Vocês gostam dessas bolsas? Quero saber!

Pra não ficar sem um registrozinho sequer da minha passagem por Londres, lá vai meu momento favorito: a visita à Vila Olímpica, onde ficam os atletas. Conseguir chegar até lá foi uma prova olímpica à parte. Tem que ter o nome na lista, no horário certo, tudo impecável, mil etapas – e enfim você entra na vila. Como eu estava com pressa, só consegui ver nossa turma do basquete, e a casinha brasilis estava meio parada na porta.

O que me chamou atenção foi a casa de Israel, que parecia um point de guerra (entende-se, tendo em vista Munique 1972). Fiquei com medo de tirar foto da casa e ser metralhada. :laugh: Fora isso, adorei ver o vôlei feminino jogando – mal, diga-se de passagem. Quem diria que levariam o ouro? Bom, amei Londres, algum dia voltarei…

Beijos

28
julho
2012

Pra não dizer que não falei dos Alpes

Postado por Ana em Alemanha, Viagens da Ana

A blogueira de meia-tigela aqui esqueceu o carregador da câmera. :laugh: O que, fatalmente, destruiu os posts que eu pensei em fazer… Mas não destruiu a viagem pelos Alpes- que foi ótima, apesar de uma chuvinha chata aqui e ali. Aliás, a maior parte dos lugares era mato demais – ou molhado demais – para levar câmera, anyway. Eu não conhecia Salzburg (Áustria) e fiquei apaixonada, fui duas vezes!! Outros malucos pela “Noviça Rebelde” reconhecerão algumas das locações abaixo. 🙂

Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 9 de 16567891011121314