21
julho
2013

Diário do Rio

Postado por Ana em Viagens da Ana

Como boa mineira, passei várias férias dos anos 90 nas areias de Cabo Frio, com uns pulinhos em Búzios e Petrópolis… mas o Rio capital não conhecia, acreditam? Quer dizer, ficar perdida na Av. Brasil na ida pra Paraty não conta, né? hehehe! Era uma verdadeira comoção na gringolândia, “como assim você nunca foi ao Rio?“. E realmente, era uma vergonha e eu estava curiosa. Então as milhas encalhadas na TAM (que está dificultando e MUITO emissões para Europa) serviram para uma viagenzinha rápida pro Rio!

riopaisagem

Hospedagem

Após muito ler e ouvir muitos pitacos de amigos, optei por ficar hospedada no Leblon. Preço de hotel no Rio já é salgado, lá é ainda mais. Mas realmente tinha medo de dar uma de “eu mesma” e querer só ficar hangin’ out havin’ fun, sem turistar muito. E como o Leblon é famoso por ser tranquilo de passear, com mil coisas pra fazer, achei que seria uma boa opção. E realmente não me arrependi, mas ainda bem que voltei logo antes do quebra-quebra que teve lá. Senti segurança muito melhor do que andar em qualquer lugar de BH, corrijam-me se eu estiver apenas iludida. O hotel foi o Promenade Palladium, foi bonzinho, mais pela localização, mas também tem muitas coisas a melhorar.

anahotel

Confesso que quando passei por Copacabana me deu uma pontinha de dúvida. . Achei tão movimentado e animado! Claro que a cidade já estava mais cheia por causa do JMJ, mas mesmo assim fiquei pensando se também não seria mais legal ter ficado lá.

A praia

rioleblon

Acabei ficando mais ali na praia do Posto 11 ao 12 do Leblon, tava relativamente vazia! Claro que chegando já comprei o famoso biscoito Globo (de polvilho, redondinho). O posto 9 em Ipanema era muito legal também, inclusive foi a melhor caipirinha que tomamos no Rio (foram várias hahaha), num quiosque do posto 9 chamado “Ponto da Saúde”. Mas pra variar, não entrei na água. Tenho pânico de água fria!

rioanaleblon

O Cristo

anachrist

Minhas tentativas de foto engraçadinhas nunca dão 100% certo, já viram? kkk

Tem coisas das quais não há como escapar, né? Tipo subir a Torre Eiffel em Paris, pegar a Maria-Fumaça em Tiradentes, subir no Cristo quando no Rio. A gente sabe que é programa turistão, caro, demorado, quase “de índio”, mas como não ir pelo menos uma vez … E realmente, apesar do táxi caro, dos ingressos caros (comprei com antecedência aqui) e da fila valeu super a pena! O trenzinho é divertido e o dia estava lindo e sem nuvens, então a vista lá de cima estava maravilhosa. Eu e os 200 turistas por lá gostamos muito! kkkk Em seguida fui para o Jardim Botânico, onde passei muitas horas. Ele é bonito, mas sinceramente eu esperava que fosse maior e mais bem cuidado, pelo tanto de elogios que ouvi.

riojardimbota

Desisti de ir ao bondinho do pão de açúcar no dia seguinte, deixei pra próxima mesmo. Estava meio chuvoso e sinceramente, tava cansada de ficar agarrada no trânsito na Lagoa Rodrigo de Freitas, só vendo o taxímetro rodar, rodar… #pãodura. O metrô tá com muitas reformas, e eu com câmera nova e perdida como sempre, não tive coragem de me aventurar. O passeio de bike na lagoa que queria fazer também mixou por causa da chuva! Aí aproveitei para passar mais tempo no Leblon. Eu até sou regulada com comida, mas quando saio da rotina viro um monstro comilão. E o Leblon era o lugar perfeito para tal!

Comilança pura

comer

Alguns lugares onde comi: o “melhor brigadeiro do Rio de Janeiro” no Colher de Pau! Muito bom mesmo! E, ao pedir um pedacinho de torta, recebemos uma montanha de chocolate! hahaha O Sushi Leblon é simplesmente delicioso, e tem a curiosidade de que ninguém recebe seu prato e fica sem fotografar pro Instagram, incrível kkkk O Bibi Lanches tem sucos gostosos e sandubas também. O Chico & Alayde tem bolinhos e escondidinho de camarão perfeitos, mas detestei o atendimento. O buteco Jobi é meu tipo de lugar. Simples e gostoso, e dei sorte de conseguir uma mesinha quando voltava pro hotel à noite. Rolou um PF no Itahy’s também, gostosinho!

“Balada”:

Reservei uma mesa com antecedência no famoso bar-turistão Rio Scenarium, pra ouvir um samba ao vivo e me achei mega esperta. Mas era terça-feira e estava meio vazio! Aí minha mesa no térreo até perdeu valor. hahaha Mas valeu pela experiência na Lapa!

Fofoca fail

Como boa fofoqueira, claro que eu queria ver “celebridades” né? #jacunorio Rolaram até algumas visitinhas em Shoppings (Shopping Leblon mesmo e o Design Leblon, algo assim). Mas não vi muitos ! Onde estão as celebs do Rio? Na Barra? Vi o Marco Antonio di Biaggi no calçadão (quase certeza que era ele haha), o Fred atravessando pra ir à praia do Leblon, a Ingrid Guimarães no Rio Design, e o mais engraçado: o Aécio Neves sentou do meu lado no Sushi Bar do Sushi Leblon, mas aí com 2 minutos arrumaram uma mesa pra ele e pra namorada. kkkk E o pior é que virei pro meu noivo e falei “esse do meu lado é o governador de Minas”. hahahaha Só percebi a minha burrice depois, mas deve ter sido culpa do drink, abafa …

Bom, foi mais ou menos assim minha viagem vapt-vupt. Deu pra divertir bastante, até porque estava com a melhor companhia do mundo, néeeeam? Confundi o horário do vôo da volta pela primeira vez na vida, e fiquei encalhada por 6 horas no Santos Dumont, mas isso não tirou o brilho. Gostei muito!

Beijos pra quem leu até aqui!

11
abril
2013

O salto que impressionava os alemães

Postado por Ana em Alemanha, Crônicas cosméticas, Viagens da Ana

Post com título de livro, porque uma mente mais criativa que a minha conseguiria escrever um livro todo com essa relação salto alto x Alemanha. :laugh: Eu costumo dizer que, você como brasileiro nunca estará “vestido de menos” na Alemanha. A gente se esforça pra ir o mais simples possível (conforme nossa cabeça brazuca) pra o evento X, aí você chega lá e se depara com toda uma legião de alemães mais mal vestidos que você. :laugh:

Pra começar, eles têm uma relação com salto alto muito diferente da nossa. E não só as mulheres altas! Assim, um saltinho de botinha até que passa despercebido. Mas se você sair de saltão na rua vai angariar todos os olhares (de estranheza). Vai inclusive receber vários elogios (acho) de turcos na rua (lembrando que os alemães não passam cantada, só olham com rabo de olho). Aí você acha que usar um saltão é justificável naquela festa. Que nada!

Tenho uma botinha da qual me orgulho muito, essa preta da Santa Lolla. Lembro que há uns anos fomos convidados para uma festinha lá em Kiel, e de repente eu estava cercada por mulheres (de calça jeans e tênis) e homens curiosos para saber “como eu conseguia me equilibrar naquilo”. Usar essa bota aqui é estar preparada para justificar o porquê de você a está usando (oi?).

Aí no último final de semana tinha outra festa para a qual fomos convidados há 6 meses, lugar fechado, DJ e tudo mais. Coloquei um vestidinho de pano da Zara (tudo para não ser chique demais), meia calça preta e a famigerada botinha. Pensei que desta vez estaria apropriada ao evento!!

Chegando lá, novamente tendo que me justificar em meio às pessoas de jeans e sem maquiagem “por que eu estava tão chique”. :laugh:

Tem que levar com bom humor, né? hahaha Isso ocorre apenas em 5% dos eventos, porque nos outros sou obrigada a retirar meu sapato antes de entrar, aí ninguém nem vê o salto. Mas isso é assunto pra outro post. 🙂

Beijos !

27
outubro
2012

Em Porto de Galinhas

Postado por Ana em Viagens da Ana

Quem me segue no twitter deve ter notado que semana passada não estava em BH, mas em sim na maravilhosa vila de Porto de Galinhas. Que lugar maravilhoso, viu? O tempo estava ótimo, uns 28 graus. A praia, com certeza, é a melhor que já fui: linda, água deliciosa …

É uma região cheia de resorts all inclusive, mas estes requerem um táxi para chegar na Vila. Eu pessoalmente prefiro pousada, então ficamos em uma ótima bem na vila, perto da praia e piscinas naturais.

Onde fiquei: A pousada chama Porto&Mar, é muito boa, mas só senti falta de um dono ou gerente, alguma pessoa para receber, dar dicas de passeios (igual foi em Paraty, por exemplo). Mas enfim, acomodações ótimas, café da manhã delicioso, tá super aprovada. Só não foi legal sobreviver a última madrugada sem ar-condicionado graças ao apagão que pegou o nordeste.

Para comer: muita gente me indicou o tal de Beijupira – é o restaurante campeão do lugar. Mas como li muitas resenhas na internet falando que o custo-benefício é péssimo (muito caro pro que oferece), acabei não indo. O que fiquei apaixonada mesmo foi com o escondidinho de um restaurante chamado Barcaxeira. hummmm Tem uma pastelaria na vila que também me enlouqueceu, porque adoro pastéis. :laugh:

Barracas: A praia tem barracas que você pode usar ou pagando 5 reais pela cadeira ou então simplesmente consumindo. A comida nas barracas é bem cara – um camarão alho e óleo com batatata sai uns 70 reais, mas de vez em quando pode né?

O ponto alto: a própria praia de Porto de Galinhas !! Como péssima turista que sou, quando viajo gosto mesmo de ficar em um só lugar. Quando quebro essa regra pessoal me arrependo em 99% das vezes… E sinceramente? A praia de Porto de Galinhas é tão perfeita, que já me bastaria completamente.

Os passeios: existem mil opções de passeios, alguns até para Maragogi-AL. Este último nem considerei, pra mim Maragogi é objeto de outra viagem, se estou num lugar tão lindo, pra que procurar outro? Achei os famosos buggys muito inseguros (você vai solto na garupa; é 20km/h, mas se freia você voa 8 metros) então não animei. Acabei fazendo o passeio pra praia de Carneiros mas não gostei – gastei um dia todo em algo que claramente só tem a intenção de pegar dinheiro dos turistas. Um século pra chegar lá (a van pega todo mundo por uma hora antes de ir), depois um passeio de catamarã que parecia evento de terceira idade, farofão. Ficava mega-rápido em cada locação, parecia atividade de ratinho de laboratório. E por fim, “dão um horário de almoço” pra você gastar dinheiro no único restaurante do lugar. E lá se foi um dia que eu poderia ter me divertido mais em Porto… Carneiros é sim maravilhoso (mas mesmo nível de Porto), mas acho que seria melhor ir por conta própria e alugar uma lancha, aí sim valeria a pena.

O que enche: como toda cidade turística, os vendedores ambulantes se proliferam igual praga. Fora o pessoal oferecendo os passeios o tempo TODO. Como eu já tenho um pouco de experiência, nem dou corda pra eles. “Posso mostrar uma arte sem compromisso?” – “Não, obrigada”. Começam a cantar, já interrompo dizendo “não, obrigada”. Algum homem quer me dar uma flor, já taco um “Não”. Confesso que em alguns lugares isso cansa, mas como disse, é uma praga mundial.

Esportes: desde que me engajei em um relacionamento com um esporte-freak, toda viagem temos que arrumar algum esporte pra fazer (aiai… :laugh:). O dessa vez foi o Surf. Eu sempre tive muito medo de ondas, mas confesso que foi bom perder esse medo na marra. Fizemos aula na escola “Pé de Surf” e gostei muito!! O instrutor era muito bacana e ficava me ajudando a pegar as ondas. Engraçado que tem uma técnica que eu nem imaginava – achava que era só subir na prancha. :laugh: Alguns litros de água engolidos, tomei vários caldos, mas me diverti!!! Só que tive que parar no terceiro dia porque deu mau jeito no meu tornozelo (velha).

Não caia nessa furada: reservar transfer de Recife pra Porto pela internet foi a maior besteira que eu fiz. Empresa super mal organizada, carros desalinhados, e sai mais caro que pegar o táxi que a pousada chama. Não vou entrar em detalhes mas acabei levando prejuízo – a “empresa” é a mesma com posição de destaque no site “Destino Porto de Galinhas“. Ninguém na vila nem conhecia essa joça, então cuidado.

Às vezes eu me empolgo mais nas dicas do que é negativo, pra não caírem em furada, mas eu simplesmente amei o lugar!! Voltaria mil vezes…

Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 9 de 16567891011121314