27
setembro
2011

Disfarçando a acne (sem maquiagem)

Postado por Ana em Pele, Saúde

Anos de pele oleosa me conferiram muita sabedoria neste assunto, então vem com a Tia Ana . =)

Hoje não vai ser sobre maquiagem para esconder espinha não, viu? Maquiagem é para emergências (ex: festa, evento), porque não deixa de ser uma impureza em cima de um local inflamado. Então, quando aparecer aquela espinha-monstro (vermelhona, com secreções) é bom de lembrar de:

1) Não espremer jamais.

Sei que é difícil demais resistir, principalmente quando fica aquele pus aparecendo e as pessoas deixam de olhar para seus olhos ao conversar com você, mas sim para a espinha. hahaha O problema é que você teria que espremer várias e várias vezes, sob o risco de aumentar a inflamação, deixar cicatriz ou até disseminar a infecção da espinha para outros lugares (principalmente para aquelas ao redor da boca – muito perigoso cutucar). Se for fazer isso emergencialmente, certifique-se de que limpou as mãos antes e limpou o local também, além de que a espinha esteja realmente madura para ser espremida (pus já pedindo “me tira daquiii“).


2) Cobrir com curativo

Gente, se as atrizes da Globo fazem isso, a gente pode também né? hehe Acho que para ir pra escola, pro trabalho, é a melhor forma, sinceramente. Você não enche o local de base/corretivo mas deixa um curativo lá, e no máximo vai ganhar umas perguntinhas tipo: “o que foi isso?”. Já experimentei vários produtos para este fim.

Os curativos de formato variado da KuraKorte são ótimos para outros tipos de machucado. Mas para espinha é o maior micão: até o pequenino é grande e chama muito atenção.

O Nexcare para acne foi uma idéia muito boa. São pequenos, transparentes e absorvem a secreção da espinha. Só que o preço é salgado (cerca de 15 reais a cartela) e a transparência nem sempre é uma vantagem. Se for uma acne mais feia dá para ver por transparência. Fora que a adesividade é ruim. Por isso eu prefiro algo cor da pele para cobrir.

O próprio micropore bege da Nexcare é o campeão, na minha opinião. Custa uns 7 reais e dura muuuuito para este fim. Você mesmo corta um pedacinho com a tesoura. Ele cobre a espinha e deixa a pele “respirar”. É o que eu uso atualmente em situações de emergência.

Infelizmente (?) só tinha essa mini erupção no colo para mostrar pra vocês :

3) E para secar ?

Já testei coisa demais nesta vida (velhice :laugh:) e acho que o campeão continua sendo da época da vovó. Minancora! Ô trem bom. Deixa agindo a noite e no outro dia já está sequinho. E não custa nem 4 reais o potinho.


4) Prevenir é o melhor remédio

– Resolver possíveis problemas hormonais (consulte médico)
– Não dormir com maquiagem
– Lavar o rosto uma ou duas vezes por dia com produto apropriado para sua pele
– Beber muuuuuita água.

Gostaram das dicas?

Beijos!!

04
agosto
2011

Ruby Laser e o milagre da manchinha

Postado por Ana em Pele

Minha pele tem uma resposta terrível à luz. Quer dizer, do ponto de vista médico, a resposta é magnífica. Solar ou artificial, ela desperta meu super eficiente sistema de produção de melanina. Bronzeio rapidamente como ninguém – não fico vermelha jamais. Isso é bom por um lado, já que o DNA das minhas células fica protegidinho rapidamente. Mas é ruim pelo lado estéticomanchas de sol (melanoses solares) surgem muito facilmente, mesmo usando protetor solar obstinadamente. Em 2005 notei pela primeira vez uma manchinha ao lado do meu olho direito. Nada me tira da cabeça que a grande culpada foi a lâmpada que uso para estudar, sempre posicionada à minha direita. Foram anos com a luz batendo ali diretamente e eu, em casa, não me preocupava de usar protetor solar. Gente, eu detestava essa manchinha. Maquiagem nenhuma cobria, olhava no espelho e só dava ela. E ainda tinha gente que me perguntava se era marca de catapora – grrr, eu nunca nem tive catapora. Eu praticamente não tenho registro da dita-cuja, porque eu criei uma tendência natural de virar o rosto pro outro lado na hora das fotos… hahaha Mas consegui uma:

Claro que lá em 2005 fui em uma dermatologista que me tranquilizou em relação à manchinha. E me receitou creminho manipulado para tirá-la. Daí tentei de tudo – inclusive cremes caríssimos, usando diariamente, pra ver se ao menos clareava a maldita. Claro que não funcionou! Como disse meu último dermato: “creminho não tira isso N-U-N-C-A”. Foi ele mesmo que me sugeriu fazer no local o Ruby Laser, que é mais forte e recomendado para áreas pequenas do rosto (é também muito usado para remover tatuagens). Foram umas rápidas sensações de espetadinhas. A mancha ficou escura e elevada (nojentona haha). E aí, voilà. Após 5 dias minha manchinha saiu igual papel. Sério, eu passei o dedo e saiu como se fosse um adesivo.

Daí a área onde ela estava ficou naturalmente hipocrômica (mais clara que o resto da pele), até que tudo se igualou. Isso foi em fevereiro… pouco tempo depois já não tinha nem vestígio.

Bom, para quem tem uma manchinha que odeia, recomendo demais o Ruby Laser. É claro que vocês não vão sair fazendo laser em qualquer clínica (muito menos via compra coletiva ARGHHHH) né? Vai que é uma coisa mais séria… Obrigatório ao menos ir no dermatologista antes, viu? Espero que tenham gostado da dica!!


Beijos!!

06
junho
2011

$upremya La Nuit – Le Grand $oin Anti-Age

Postado por Ana em Geral, Pele

Eu estava dando uma olhadinha no site da $acks quando vi este produto anunciado. Achei que era erro de digitação o preço de 2339,90 !

Digitei no Google e assustei: ele é caro assim mesmo.

Realmente, a Sisley é uma marca muito conceituada (e cara). A possível justificativa para o preço está na descrição do produto: “aproveita as últimas descobertas em chronobiologia e genética para recuar a idade da pele geneticamente e para uma pele visivelmente rejuvenescida“.

Este preço todo me fez pensar um pouquinho… Um dos medicamentos mais caros que já vi na época da faculdade era um para a rara Doença de Gaucher, que muda a esperança de vida de um indivíduo de “morte certa na infância” para “expectativa de vida normal, com qualidade praticamente normal“. O custo era mais ou menos de 200 mil dólares por ano, por toda a vida. Como é doença rara, o governo assume o custo do tratamento. Um laboratório detinha a patente do único remédio e por isso era tão caro. Parece absurdo, mas imagine o tanto que foi investido em pesquisas… pense no valor único de cada vida para os pais da criança. A fase da patente serve para que o laboratório colha os louros de seu investimento e pesquisa que simplesmente deram e darão a vida para algumas pessoas. Se 200 mil dólares era abuso, não sei julgar. Acho que recentemente até lançaram outras alternativas de tratamento, mas não sei detalhes, graças a deus não tenho mais que estudar essas coisas… hehehe

Mesmo pensando por estes termos, não sei se acho justo 100mL de um serum anti-idade custar quase 3000 reais. Eles estão usando uma substância patenteada e pesquisada no produto, mas será que precisa ser tão caro? Será que este serum faz mágica na pele de quem usa? Você olha para fulana e vê que suas rugas desapareceram completamente? Será que o efeito é tão mais expressivo que usar um bom creme da Vichy ou da LaRoche-Posay? Se for assim gritante, me fale porque quando eu for mais velha vou querer um !!!! hehehe Porque por este preço tem que ser milagroso igual o remédio para a Doença de Gaucher … 😛 Ai, estou pegando muita birra de creminho. Creminhos são 95% enganadores. Sad but tue… E olha que uso tônico, hidratante, creme pros olhos… mas, sinceramente? Milagroso mesmo só protetor solar…


Beijos !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 6 de 812345678