20
março
2015

Enxaqueca – informações e a minha experiência

Postado por Ana em Saúde

Vocês sabem a diferença entre dor de cabeça “normal” e enxaqueca? Basicamente, esta última dá uma dor mais incapacitante – você não consegue continuar fazendo as coisas, tipo trabalhar. A dor pode durar de algumas horas até alguns dias. Geralmente ela é mais localizada, por exemplo, só em metade da cabeça. E, por fim, é bem mais acompanhada de sintomas como fotofobia (a luz incomoda horrores), fonofobia (qualquer barulho incomoda horrores) e enjôos/vômitos.

baerchen

Outra coisa que é mais típica da enxaqueca é a chamada “aura“, apesar de ser mais comum não tê-la do que ter! Aura é tipo um sintoma super esquisito que precede a dor: pode ser um cheiro estranho que você sente. Pode ser alguma alteração abrupta no seu humor. Pode ser algo esquisito na visão: vagalumes brilhantes que aparecem, ou até perda temporária da visão. Outra coisa típica da enxaqueca é o gatilho – aquilo que te provoca a crise. Nem sempre dá pra identificar, mas alguns gatilhos comuns são: vinho, queijo, exercício físico, estresse. E por fim – sabe de outra coisa super comum nesses casos? História familiar – outras pessoas da família também costumam ter. E … sexo feminino. Aliás, pílula anticoncepcional costuma aumentar a frequência em quem já tem. Uma coisa clássica da enxaqueca é que os remédios para dor de cabeça comum (ex: paracetamol) não costumam funcionar. Usam-se outros, como naproxeno, ibuprofeno, etc, que aliás têm várias contra-indicações, então não use sem indicação médica. E, para você ter chance de evitar/cortar a dor, você deve tomar esses remédios de preferência durante a aura (se você tiver e se perceber), antes de começar a doer. Para quem sofre com perda da qualidade de vida devido a episódios muito frequentes, existem tratamentos profiláticos a serem prescritos pelo neurologista. E, se você conhece os seus gatilhos, evite-os se possível.

hemia

Enxaqueca & eu

Agora minha experiência pessoal com essa dita-cuja – eu tenho uma história familiar forte de enxaqueca e me considero até bem sortuda pela frequência que apareceu em minha vida. Os episódios que tive conto nos dedos de uma mão. Lembro em alguns casos isolados em minha infância, como por exemplo uma vez após apertar o aparelho no dentista ou outra vez após ser assaltada. Começava com aura – eu só sabia que havia algo esquisito com minha visão mas não sabia identificar o que era. Depois vinha uma dor horrível que me jogava à cama, no escuro, levemente nauseada. Eu observava que minha irmã tinha enxaquecas bem mais frequentes, desencadeadas por exercício físico extenuante. Ela teve, por exemplo, que parar de fazer capoeira, pois toda santa vez era a mesma coisa – e a dela era pior, pois ela vomitava muito.

Achei que ia ficar cega

ogrito

Eu só não imaginava que as coisas iam mudar um pouco por agora. Assim, eu sempre fui meio sedentária, mas tenho me exercitado mais no último ano. Tenho corrido com frequência – e corrida, para mim, é um exercício extenuante. Eu fico BEM cansada e chego em casa vermelha, um caco. Daí, um belo dia ano passado, cerca de 1 hora após correr, assistia televisão e comecei a ver que havia algo estranho com a legenda. “Algo estranho com a visão que você não sabe explicar o que é” costuma ser problema de campo visual. Foi piorando, piorando e resolvi testar meu campo: o campo visual inferior do olho esquerdo SUMIU completamente. Imaginem o meu pânico nessa hora. Meu marido achou que eu estava dando um piti hahahahhaa e falou: ôooo, calma, vem aqui. E eu: PQP meu filho, sou oftalmologista e se estou te falando que meu campo visual inferior do olho esquerdo sumiu, é porque SUMIUUU aaaaahhhh. E mesmo assim ele achava que era piti meu, porque eu tenho a reputação aqui em casa de ser hipocondríaca e dramática. #guilty kkkk Foi nesse nível – pensei no pior. Mas daí me veio um segundo de consciência e pá, lembrei na hora de enxaqueca e me recompus, esperando ansiosamente pela chegada da dor de cabeça. A perda visual não durou mais de dez minutos (como deve ser nesses casos). Daí depois chegou a dor de cabeça, bem localizada – a melhor dor de cabeça que já senti na vida, pois confirmou que era “só uma enxaqueca”. Daí semana passada aconteceu isso de novo após uma corrida. Acho que minha frequência vai ser uma enxaqueca a cada 40 corridas, algo assim. Não quero parar de correr, mas isso meio que mina meu sonho da meia-maratona, por exemplo – a não ser que eu progrida a passos de tartaruga anêmica. E outra, dependendo do episódio pode acontecer perda permanente no campo visual, de alguns pontos. Alguns colegas me tranquilizaram em relação a isso, mas, bem, está nos livros. Dá um medinho de arriscar…

Não custa lembrar: se tiver sintomas de enxaqueca, principalmente se forem novos ou mudarem de característica, um médico deverá ser consultado, inclusive para excluir outras condições mais graves que podem causar sintomas parecidos.

Desde que vinho não passe a ser um gatilho, eu não reclamo muito, prometo. hahhahaha E vocês, têm experiências com a dita-cuja?

P.s: coincidentemente após escrever o post fui ler as news na Spiegel e vi uma reportagem (vídeo) interessante sobre enxaqueca na Alemanha, o problema grande que ela representa e sobre o tratamento com Botox. Pra quem entende alemão, está aqui o link.

Beijos !

06
fevereiro
2015

Cinco dicas para combater acne nas costas

Postado por Ana em Pele

Esse é o verdadeiro post “sujo falando do mal lavado“. Explico – minhas costas estavam precisando ser interditadas tamanho era o estado de calamidade. Eu disse um tempo atrás que estava fazendo a experiência de ficar hormônio-free, mas realmente a experiência só durou 7 meses. Sem tratar a causa base, minhas costas se rebelaram e ficaram cada vez mais difícil de tratar só com sabonete e creminho. Eu resisti bem até ver que começou a aparecer muita coisa no meu rosto também (e para cada acne, uma mancha), daí eu pedi água e voltei com meu velho tratamento hormonal. Mesmo assim, demorou um mês e meio pra coisa começaaaaar a voltar ao controle. Mas ainda está bem ruinzinho! 🙁 Afff, nessa altura da vida!!!!

Mas mesmo no auge dessas crises, sempre pode piorar. Por isso tem coisas que quem tem problema de acne nas costas não pode deixar de fazer – para alguns vai resolver quase todo o problema, pra outros só melhorar um pouco ou evitar que fique pior ainda (oi). Obs: esse será um post de imagens sofríveis, porque só tenho o Paint Brush aqui. kk

1) Ir no dermatologista e usar sabonete e/ou cremes próprios

sabonet

É o óbvio, né? Além de tratar a causa-base da acne se houver (ginecologista, endocrino, etc), você precisa ir ao dermatologista para obter o tratamento correto. Esse costuma ser um problema de quem tem a pele oleosa, então serão prescritos produtos para ajudar nesse combate, no geral um sabonete e uma pomada ou produto específico. Em outros casos, tratamentos com medicação oral mesmo! A minha sugestão é – se você tiver acne uó, for jovenzinha e sua dermatologista sugerir Roacutan, ACEITE!!!!

2) Quando chegar da academia, tome banho imediatamente

shower

Isso vale pra qualquer situação de suor. Eu já percebi que quando estou mais frequente na academia a situação piora – às vezes é o tempo que enrolo tomando água, comendo banana. Pois aprendi que não dá nem pra deixar o suor secar, tem que ir direto pro banho pra tirar o suor.

3) Sutiã sempre limpo, de preferência trocar todo dia

cleanbra

Parece que aquele suor e sujeira impregnados no sutiã (mesmo aqueles que não percebemos) acabam piorando a situação, entupindo mais os poros e piorando a acne.

4) No banho, deixe para lavar as costas por último

haircream

Aquela máscara de cabelo, condicionador, etc, vão escorrer pelas suas costas. Se não passar o sabonete próprio por último, é como se você tivesse lavado as costas com creme! Essa é a dica mais importante…

5) Evitar cabelo encostando nas costas

hairback

Durante as piores fases, é melhor evitar decote nas costas ou então prender o cabelo em um rabo alto ou coque. Senão a oleosidade do cabelo ou mesmo aquele leave-in vão transferir pras costas e já viu, né.

Dica extra: se surgir uma espinha MONSTRO e dolorida nas costas e você ainda está aguardando sua consulta, durma com um pouquinho de Minâncora sobre ela, aquela pomadinha de vovó. Principalmente se ela estiver um pouco aberta, ajuda a secar bem! Depois use o que for prescrito … Não cutuque espinhas inflamadas e evite espremer. Ler também: disfarçando a acne sem maquiagem.

É isso. Assim que voltar pra casa vou tentar o último GOLPE nessa guerra contra a acne. Se não funcionar, já estou me imaginando velhinha de bengala e com acne, é de surtar. Tem mais alguém nessa situação? Que dica vocês têm pra me dar?

Beijos da futura grávida-creuza

02
fevereiro
2015

Usar curvex todo dia faz mal?

Postado por Ana em Olhos

“Uso todo dia e não tive nada, pode usar tranquila”Isso não é resposta. Essa é uma pergunta cientificamente muito difícil de ser respondida. Um estudo científico com VALOR exigiria um dos formatos mais caros existentes: uma coorte, estudo prospectivo em que você segue uma população submetida a um certo fator de risco (no caso: “usar curvex”) e, claro, compara com um outro grupo que você seguiu e e que não se submeteu ao fator de risco (usar curvex). Imagina o quão dispendioso não seria um estudo desse, que deveria ser conduzido por décadas, a quantidade de perdas no grupo de risco (afinal, quem vai ficar décadas garantindo usar curvex todo dia?) e no controle, o tamanho de um estudo desse porte!

curvextododia

Enquanto a Allergan não me financia 🙂 , podemos extrapolar a resposta com base na anatomia e fisiologia do local. A margem palpebral é uma região sensível, pois lá estão várias glândulas fundamentais para o bom funcionamento do filme lacrimal, crescimento de cílios, etc. É ainda uma dessas partes “especiais” do corpo, onde observamos uma transição abrupta de dois tecidos diferentes: de um lado um tecido epitelial (a parte “seca”, pele), do outro um tecido mucoso (parte molhadinha). Há vários exemplos no corpo humano em que um trauma contínuo (físico ou químico) provoca mudança de características no local, principalmente em locais envolvendo mucosa. A margem da pálpebra é tão sensível que mesmo um excesso de oleosidade (acompanhado de blefarite) não tratado vai cobrar seu preço quando a idade se avançar um pouco, mudando inclusive a anatomia do local. Consequências possíveis desse último caso: olho seco, perda de cílios, cílios que crescem para dentro do olho, etc.

MARGEM

Eu sou COMPLETAMENTE viciada em curvex e uso todos os dias. Tendo em visto o que falei acima, qual minha opinião sobre o assunto?

Depende de como você usa. Eu tomo cuidado para aplicar curvex somente sobre os cílios e só faço daquela forma indicada pelos fabricantes (puxando para baixo e pra cima) em ocasiões especiais pois assim, mesmo só apertando os cílios, há uma transmissão de forças para a margem, com potencial de trauma indireto. Usar aquele truque mara de aquecer com secador, infelizmente é pra ser uma vez na vida, outra na morte. Se mesmo assim me causará algum prejuízo só posso falar a minha experiência pessoal daqui a algumas décadas. Agora, da forma que a maioria dos maquiadores aplicam, apertando rente às margens (porque realmente o efeito fica mais POWER), e/ou beliscando de leve as margens – fazendo isso com frequência grande, pode ter certeza que a pálpebra vai cobrar o seu preço, com sorte daqui a uns vinte anos. Com azar, bem antes.

Por isso, é bom ser razoável: se você for dependente de curvex como eu, preste bem atenção na hora de aplicar, não deixe que ele aperte a margem das pálpebras, mas somente os cílios mesmo, de preferência sem puxá-los para evitar o trauma indireto também.

Bora aproveitar a segundona para seguir o blog em algum lugar? 🙂

Minha fanpage no facebook!
Meu instagram novo ♥
Junto com seus blogs favoritos no Blogloving
Meu twitter onde solto meu mau humor. 🙂
Receber aviso de post novo por e-mail ali no cantinho inferior direito! 😛
Não esqueça de responder a pesquisa, vou fechá-la para respostas amanhã! Merci!

Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 7 de 453456789101112