08
março
2017

Meu amigo avocado

Postado por Ana em Ana de Casa, Dieta

Já que mencionei o avocado no post do Panini Low Carb, achei legal compartilhar essa história aqui! 🙂 Não sei se é a idade ou a mudança de país, mas é assustador o quanto meu paladar mudou nos últimos 3 anos. Se considerar os últimos 10 então, vixe, pareço outra pessoa. O pior é que só acrescentei coisas à lista do que gosto, hehehe Podia deixar de amar chips, né? Tomate, água com gás, azeitona(!!!), mais um trilhão de coisas e até mesmo o inacreditável… abacate! Ou melhor, avocado! Já já explico.

avocadohaupt

A minha repulsa a abacate remonta os primórdios da minha existência. Passei anos da infância bebendo uma vitamina de abacate com leite bem docinha com os abacates bem maduros que meu tio trazia do sítio. Ninguém me perguntava se eu queria, já chegavam com um copão enooooooorme com a vitamina. Já aconteceu com vocês de passarem anos comendo uma coisa para um belo dia concluirPOHANNNN eu odeio esse trem, porque fico comendo/bebendo esse trem?“. Tomava no automático um copão e não gostava e no dia que eu percebi isso meio que briguei forever com a fruta. Para terminar, eu tinha uma calça fusô favorita azul aos 8 anos e lembro que fui no churrasco da mãe de uma amiga, tinha um jardim e me ajoelhei para pegar a bola. Ajoelhei num abacate caído meio podre que estava escondido entre as folhas. Ficou uma mancha verde enorme no joelho e isso só me deixou com mais raiva do abacate.

Por isso que jamais, nem em um milhão de anos eu compraria qualquer coisa relacionada à fruta. Só sei que meu marido sempre comprava um cremezinho de guacamole para passar no pão e eu sempre colocava a língua para fora. Acho que um dia por insistência dele e por falta de outra coisa para passar no pão e eu experimentei e … o final da história vocês já sabem. Amei!! E daí entendi tudo: eu tenho problema é com abacate doce e usado em receitas doces E super amo, cada vez mais, abacate em receita salgada. No caso, o avocado. Não é frescura do beautiful people, o nome é diferente mesmo porque o dito “avocado” é uma variedade do abacate. Eu não sabia disso antes e quando via alguém postando que comeu salada com avocado eu pensava “aiiaiiii fala abacate mulher!!“. Vivendo e aprendendo, né? 🙂

O avocado que compro é o tipo mais comum aqui- aquele de casca bem escura, o HAAS. Ele é bem menor que um abacate normal. No Brasil tem avocado também, mas sei que custa um pouco mais que o abacate grandão. Já aqui, ÓBVIO que não procurei abacate normal porque odeioooo, mas ainda não vi, O avocado orgânico (mais caro) custa uns 2 euros onde compro, se não for orgânico é menos! Gosto de comer puro, fatias em salada, no wrap, no mexicano, guacamole, nossa, qualquer coisa! E o melhor: é saudável. Apesar de ter 10% menos calorias que o abacate tradicional, não é hipocalórico, porque é rico em gordura – então, como tudo, tem que comer com moderação. Mas a gordura é “boa”, monoinssaturada! E ele aumenta a absorção de nutrientes, por exemplo, se você comer com uma salada. E isso vale pro abacate também! O avocado tem ainda mais nutrientes que o abacate e é lotado de potássio! Ele é um grande amigo de dietas low carb! Ah, se não sabe como descascar avocado ou quer dicas de conservação para ele não escurecer rápido veja esse vídeo aqui! 🙂

Fica a dica – se você também odeia abacate, dê uma chance ao avocado!

Beijos!

02
março
2017

Meu jantar low carb

Postado por Ana em Ana de Casa, Dieta

Olá! Caso queiram uma idéia para secar um pouco pós-comilança carnavalesca, continuem lendo! 🙂 Lembram que eu contei da minha nova rotina de almoço? Eu já estou na 11a. semana com a mesma marmita e, juro, me encontrei! O que ainda não contei é que também tenho feito ~algo semelhante~ à noite. A diferença é que, se o almoço em dia útil não me é prazeroso anyway, a refeição da noite sempre foi minha queridinha. É aquele momento precioso de chegar em casa morta e… descontar na comida! hahahaha Aí é que morava o perigo, aquele sentimento de “ralei tanto hoje, eu mereço!”. É uma cilada, Bino.

O tortuoso caminho até o Panini Low Carb

paninipronto

Para mim o que mais determina meu peso é o que eu como à noite. E quanto mais carboidrato à noite, pior. É tão absurdo que se como uma pizza à noite no outro dia minha barriga triplica, fico toda inchada. Nunca tive o hábito de jantar comida quente, e meu lanche aqui sempre foi pão (aqui geralmente é integral) em suas variadas formas… Eu vinha quebrando minha cabeça, pensando em como poderia me alimentar à noite com menos carboidratos. Teve uma época que fazia hambúrguer de quinoa (misturinha do Alnatura) + salada, mas logo enjoei. Depois partí pro ovo. Olha, eu adoro ovo , mas em contextos diferentes. Cheguei até a comprar clara pasteurizada em garrafas (comprei isso aqui, acreditam? ANA HALTEROFILISTA hahahhahaa ). Daí comia com espinafre, cogumelo …Mas juro, eu peguei um nojo do omelete de claras que nem sei explicar. Eu concluí que precisava então era de uma “base amiga” para eu poder saborear as coisas que costumava comer com pão. Daí um dia, olhando no google, peguei a idéia de fazer um Panini low-carb. A receita pioneira peguei num site que já linko aqui e adoro, o Pitadinha. Acho prático de fazer (gasto 6 minutos no total).

Ingredientes e preparo

paninipreparo
paniniantesdepois

A receita básica é de um ovo, 2 colheres de requeijão (light de preferência) e uma pitada de fermento (Pó Royal). Vi algumas receitas acrescentando parmesão mas acho dispensável, porque não é para comer puro mesmo … Já notei que o fermento não é 100% indispensável não – se não colocar, fica meio chocho, se colocar muito daí ele cresce mais e fica mais mole. Para mim, uma pitadinha é ideal.

Particularidades da Alemanha: Como aqui é difícil de achar requeijão, estava usando Schmelzkäsezubereitung (“Sahne”), que tem em todos os supermercados, e ficava ótimo. Como não é sempre que eu achava o light, acabei experimentando com Philadelphia Creme Cheese Light e deu super certo. Já vi que tem gente que faz com Iogurte Grego, mas como só preciso de 2 colheres ia desperdiçar iogurte, então nunca testei. O pó Royal é o Backpulver mesmo. E ovos eu tenho preferido orgânicos (“Bio”) ou ao menos de frangos criados soltos (“Freilandhaltung”) vi uns filmes do PETA no Youtube e fiquei meio horrorizada, hahaha.

É só misturar com um fouet ou garfo os ingredientes até ficar homogêneo e daí transferir para a forma (de preferência untada). Coloca na temperatura máxima por três minutos no microondas (aqui é 850W). Uma coisa que notei é que a qualidade do Panini é altamente dependente da forma (tamanho) que você usa. O negócio é testar vários tamanhos e ver como você prefere. Se fica mais altinho (forma pequena e funda), ele fica mais fofinho dentro. Como eu prefiro mais durinho, a minha forma preferida é nada verdade um acessório de silicone que veio com minha marmita da Monbento.

paniniformapamA forma que uso – quando unto, uso o PAM

Acho que fica bem fininho assim e tosta rápido e endurece. Com minha forma de silicone dá para fazer sem untar – mas para não ficar nadinha grudado (acaba ficando mesmo depois de lavar na lava-louças) eu dou uma sprayada de PAM. Ele sai do microondas igual uma esponja branca, daí você leva para a frigideira quente (ou tostex) para ficar com carinha de pão.

Tem gosto de ovo?

Sim e não ou, em bom alemão, JEIN! Se você odeia ovo, acho que não é pra você! Na primeira vez que fiz, me pareceu que estava fazendo um omelete. Cheguei a ficar decepcionada! Cheiro, textura e cara de omelete. Mas depois me surpreendi porque realmente não é um omelete. Quando acerto na espessura e deixo ficar bem torradinho, ele fica com cara de pão de forma torradinho mesmo. Só acho o nome meio exagerado – não acho que tem nada a ver com o Panini italiano não, hehe! Muita gente come como um sanduba, dobra (ou faz 2) e põe com recheio dentro. Eu como tipo torrada mesmo, passo uma coisa em cima e pronto. Eu sinceramente adoro ovo e ainda como com coisas diferentes em cima – então o gosto de ovo não é algo que me chama a atenção não. Mas acho que quem tem aversão a ovo (tipo minha irmã) provavelmente não vai gostar muito.

Com o que gosto de comer

paninifavoritosMeu Top 3! Todos compro no Rewe

Eu não fico contando as calorias, só procuro mesmo comer pouco carboidrato à noite. As coisas que mais gosto de passar no Panini são as mesmas que eu gosto de passar em pão: um creme de guacamole (ou guacamole caseiro se tiver tempo), Hummus (Homus) com ou sem pimenta Harissa e queijo de cabra. Esses três compro no Rewe. Mas nossa, coisa para passar em pão/panini não falta, principalmente aqui, o céu é o limite. Exemplos: creme de camarõezinhos, pasta de ovos, aqueles mil produtinhos russos e até esses Caviar-fake para quem gosta.

paniniavocadoUma das minhas combinações favoritas: panini + creme de queijo de cabra + avocado

Veredicto

O hábito do panini low-carb também cultivo há 11 semanas e ele tem tudo para durar muito, porque eu realmente adoro! Como com boca boa e fico querendo é mais, hahaha! Ao contrário do almoço, do qual desapeguei e acho que nem sinto gosto mais, kkkk. A mínima quantidade de carboidratos me faz acordar no dia seguinte sem inchaço na barriga. E, como disse, sempre posso mudar o que passo em cima (mas dos três favoritos não vou enjoar nunca). Recomendo muito testar ao menos, vai que você gosta também! 🙂

Beijos

29
janeiro
2017

Brócolis, frango e batata doce (e repete)

Postado por Ana em Dieta

Eu sou marmiteira há quase dois anos (umas falhas aqui e outras ali, mas bem disciplinada até). Mas resolvi apurar ainda mais o hábito e usá-lo ao meu favor. Explico. Quando eu sentei no fim do ano para escrever minha lista de resoluções, até eu fiquei chocada com a quantidade de páginas que coloquei no papel. Minha irmã me disse que eu deveria ter apenas uma resolução para 2017: não ter resolução nenhuma. Consegui ver muita poesia neste conselho dela – foi aliás um sinal que ela me conhece bem demais e sabe o quanto costumo ser ditadora de mim mesma. Mas resolvi ignorar e apenas combinar comigo que estará ok se não conseguir cumprir nada. Nada de chibatadas psicológicas!

marmitasmonbentoReady to go!

Uma das minhas maiores resoluções é me alimentar muito, mas muito melhor. Se em 2016 eu fiz exercícios físicos regularmente e me orgulhei disso, nunca comi tão mal. No começo, só com o novo hábito de elíptico por 1 hora ao menos 3x por semana, emagreci 5 kg muito rápido, mas estava no início mais controlada com a alimentação e por isso o combo foi infalível. Depois, acomodei e vi nessa história uma grande oportunidade de comer todas as delícias do mundo e virei a rainha da jaca. Houve semanas em que jantei uma pizza inteira (uma só para mim!) 5 noites seguidas. Nunca fiz isso na vida! Daí engordei uns 3 kg de novo mas me mantive estável por causa do esporte , então fiquei muito acomodada. Mas isso é ruim demais para a saúde, não estava feliz com essa situação!

Em Dezembro cortei então quase 100% chips, biscoitos, vinho, chocolate – e isso já está ótimo, né? Mas resolvi otimizar a alimentação durante a semana de trabalho. Quer dizer, de segunda à quinta. Como sexta eu não trabalho à tarde, aí me permito comer algo que esteja a fim – seja restaurante, comida pronta do supermercado ou mesmo comida normal que tenho congelada (geralmente restos de domingo). Sábado e domingo ou cozinho normal em casa ou comemos fora. Concluí que o almoço durante a semana é igual ao meu café da manhã ao longo da semana: não me dá prazer nenhum whatsoever, então por que não otimizar? Devem ter uns 10 anos que como cereal + leite de soja no café em dia útil porque é prático, rápido, barato e me mantém sem fome até as 10h da manhã. Daí vem o final de semana e como minha tapioca com café, na maior calma, que alegria que me dá esse simples momento! 🙂 Para almoçar no trabalho ou eu levava marmita ou comprava comida de microondas (às vezes viajava ou simplesmente não tinha tempo e daí a marmita mixava – e durante a semana para mim é IMPOSSÍVEL preparar marmitas). Vez ou outra ia almoçar no restaurante com colegas, mas sinceramente, pra mim não é prático. Eles são homens e comem muito mesmo. Mas para mim? Comida pesada, gorda, porção enorme que me deixava sonolenta à tarde, calça apertando a barriga, ainda custa uns 12 euros e me tira boa parte da minha hora do almoço que é quando estudo italiano, leio livros etc.

Por outro lado, estava ficando muito penoso e complicado ficar pensando na marmita semanal – saudável, gostosa, não-trabalhosa e yatta yatta yatta– aquela coisa de ir pro supermercado para comprar mil ingredientes, a preguiça de preparar tudo etc – e no fim das contas ficava repetitivo e nem tão saudável.

Daí pensei: tem coisa mais rápida que preparar frango grelhado, brócolis e batata-doce? Não, né? Então é isso que vou comer de segunda à quinta enquanto eu aguentar, até porque deve ser a combinação mais fit do universo, hahahaha! As boa notícia é que estou aguentando firme há 1 mês, entrando na quinta semana agora. Fiz as contas e este almoço me custa aproximadamente 2 euros por dia e de quebra, com certeza, está me deixando mais saudável e me auxiliando na minha busca por uma boa-forma em 2017! Ao que tudo indica, esse meu novo hábito durará muito tempo … Após essa introdução gigante, vamos ao propósito do post, que é mostrar como eu faço.

marmitapronta

Como eu faço:

Brócolis – Compro uma unidade de brócolis embaladinha. Escolhi o brócolis porque é nutritivo, faz muito pouca bagunça pra preparar. Eu lavo o brócolis, corto, e cozinho 10 minutos no vapor. Nem tenho panela para isso, simplesmente fervo água com sal e/ou limão, encho a panela de água fervendo até quase metade – daí coloco tudo numa peneira encaixada na panela e tampo e deixo cozinhando 10 minutos. Depois resfrio na água fria para parar o cozimento (gosto al dente). Se tenho cenoura, abobrinha, couve-flor dando sopa em casa, vão junto também. Nem sinto necessidade de temperar depois não, mas dá para colocar sal, pimenta, alho… É importante escolher brócolis fresquinhos sem parte amarelada!

brocolisrewe

brocolispreparo

Batata doce: Compro as menores, porque são mais saborosas e mais fáceis de cortar. Vale ressaltar que as batatas doces aqui são diferentes da do Brasil. Acho o gosto muito diferente, parece até outro legume. Mas gosto dela também! Eu corto em rodelas com a casca – porque assim vai mais rápido e porque a casca tem mais vitaminas e eu acho mais saboroso também. Daí coloco um pouco de azeite, sal rosa e alecrim (fresco ou seco). Pré-aqueço o forno a 180 graus e levo ao forno por uns 25 minutos (espeto pra ver se está bom).

batatadocecrua

batatadoceforno

Frango: Eu já compro os filés cortados (de frango ou peru), porque daí é menos trabalho ainda! Aqui os filezinhos que gosto se chamam “Minutenschnitzel“. Eu faço uma pastinha de alho + sal + pimenta e esfrego nos filezinhos, Daí os deixo marinando ao menos meia hora (mas geralmente já deixo de sábado para domingo). Se você for fit de verdade pode simplesmente não marinar e só temperar com algum tempero sem sal tipo Mrs Dash! A marinada que gosto é com mostarda, azeite, vinagre, água e shoyo (proporção 1:4:4:2:4). Daí grelho na frigideira bem quente (teflonada sem óleo, até porque já estava marinado no azeite). O segredo é não apertar e não colocar tudo de uma vez (porque daí esfria e ele perde água). Quando um lado está grelhado, viro do outro e quando está douradinho transfiro para uma panela com um pouco de água fervendo. Os filés ficam lá uns 25-30 minutos – para mim isso é garantia que estarão 100% cozidos por dentro e macios. Se for secando a água é só acrescentar mais. Por causa da marinada o sal dessa forma já fica nos trinques, não adiciono mais não!

frangogrelhoLevo de 2 em 2 na frigideira bem quente – não apertar e não ficar mexendo!

frangofervendoDepois deixo uns 25 minutos ficando macio na panela

A magia do limão siciliano: O que tem feito TODA a diferença é que coloco um pedaço de limão siciliano na marmita e passo no frango antes de comer. Além de dar mais gostinho no frango, o deixa molhadinho na hora de comer (após geladeira + microondas acaba ressecando um pouco). Eu sempre tenho limão em casa, até porque tomo com água morna de manhã (lembram?). Essa é a única coisa que eu faço todo dia para colocar na marmita – cortar limão – mas isso dá zero trabalho!

Logística

Fazendo marmita para 2 semanas (na verdade 8 dias úteis) eu gasto de 30 a 50 minutos (desconsiderando o frango marinando). As minhas porções, como vocês podem perceber pelas fotos, são pequenas. Eu sou um ser humano pequeno e não gosto de comer muito no almoço – essa quantidade (um bife, um pouco de brócolis e batata doce) me deixa muuuuuuito satisfeita, como o final até meio com dificuldade.

Conservação

marmitafreezer

Eu preparo domingo e deixo as coisas na geladeira para eu consumir até quarta-feira.
Atualmente tenho congelado tudo direto. Três dias acho de boa! O resto eu congelo – e essa é a maravilha da coisa, porque os três congelam super bem! Pude confirmar isso e agora decidi fazer marmita para 2 semanas de uma vez. Sei que é ecologicamente incorreto mas prefiro congelar em saquinhos (adoro os da Ikea, baratiiiinhos) porque Tupperware ocupa muito espaço no congelador e tem que colocar na lava-louças, secar, montar, guardar no armário… O saquinho eu uso e jogo fora. Escrevo sempre o que é e a data. Acabei criando um “sistema” de usar um saco de cada cor para cada um, acho melhor visualmente no congelador, hahaha! Eu tiro na noite anterior do congelador e passo pra geladeira. Já levei os saquinhos mesmo e só virei no prato, mas prefiro transferir para minha marmita antes. Aliás, as minhas marmitas são da Monbento, adoro e as recomendarei para todo o sempre! Vão ao microondas e lava-louças e são bem resistntes! Ah, Tem que deixar as coisas esfriarem antes de levar ao congelador!

Pumgênicos

pum

Foi a primeira coisa que minha irmã me perguntou quando contei dos meus planos. Afinal, brócolis e batata-doce são famosos por serem alimentos “pumgênicos“, hahahaha! Mas olha – ovo, feijão, cebola e um tanto de outras coisas também são. Eu tinha pensado nisso também, medo de ficar a barriga inchada apertando a calça à tarde. Mas olha, individual isso, mas para mim foi o contrário. Não sei se é a falta de carboidratos simples, derivados do leite, creme, temperos fortes, cebola e afins, mas minha barriga está bem mais sossegada após o almoço que antes, não tive qualquer problema em relação à isso. Como disse, bem individual e depende da flora e intolerâncias de cada um, hahhaa! Total tosqueira esse tema, mas enfim! kkkk

Hábitos

É isso, muito rápido de fazer, barato e mega hiper super saudável (nível blogueira fitness by Coach Bueno kkk). Sim, é gostoso – mas como eu disse, comendo isso todo dia meio que não dá prazer mais. Mas, pelos motivos que citei acima, tanto faz. Tenho visto isso como algo para me nutrir e pronto – coisa prazerosa como de sexta a domingo – e convenhamos que está bom demais, né? Se é para comer uma massa gorda com taça de vinho, que seja com meu marido na sexta à noite, sem pressa (aliás, fazemos com frequência isso, hehehe). Como “plus” do novo hábito, já emagreci 3 quilos em janeiro – tanto pela marmita quanto por cortar porcaria durante a semana. Essa repetição e automatismo podem parecer uma coisa meio absurda para algumas pessoas. Mas essa sou eu, gente. Sou uma criatura de hábitos – para mim hábitos são quase uma arte – montá-los e desmontá-los – e eles são muito bons para otimizar e melhorar a vida. Fora que é muito diferente minha vida agora (adulta casada, sem self-service na esquina, sem empregada, sem papai ou irmã cuidando do que vou comer, rs) do que minha vida no Brasil. Ou preparo minha própria comida ou fico muito insatisfeita com minha rotina alimentar… Mas também quero aproveitar meu final de semana como uma pessoa normal e não ficar o tempo todo na cozinha, ah, nem! C’est la vie

Ah, Depois conto o que tenho comido à noite em dia útil. Quem segue no snap já está careca de saber!! hihihi

Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 2 de 4412345678910