09
janeiro
2012

Diário de uma cafeinólatra

Postado por Ana em Crônicas cosméticas, Saúde

Meu nome é Ana e sou viciada em cafeína. :laugh: Aproveitando o ano-novo, vocês aceitam me acompanhar em uma nova empreitada? Eu basicamente sempre fui completamente apaixonada/viciada por produtos que, “por acaso”, têm cafeína. E agora quero cortá-los de minha vida. Então senta que lá vem a história… :laugh:

Fase I : Café frio

Dos meus três (!!!!) aos 9 anos eu era viciada em café frio. E se estivesse quente eu xingava o responsável. Hahaha

Fase II: Chá Matte Frio

Dos 9 aos 14 anos eu era completamente viciada em chá matte frio. Sério, nessa fase eu nem bebia água, eram mais de dois litros de chá por dia.

Fase III: Coca light/zero e café quente


Desde os 15 anos eu me divido entre essas duas bebidas. O que eu chamo de vício, acho que está mais para uma dependência psicológica. Igual tem gente que senta pra estudar fumando um cigarrinho – eu abro uma latinha de coca-zero gelada ou trago uma xícara de café. O problema é pior quando estou em casa – em viagens, no trabalho e na casa de outras pessoas eu fico muito bem sem cafeína. O lado bom é que essa minha mania não engorda, o café é com adoçante e a coca é sem calorias. O lado ruim é que isso destrói meus dentes, ossos e pode estar acumulando efeitos ainda piores para o futuro (quem duvida que a coca-cola tem o poder de calar muitos estudos?).

Fase IV: Just say no!

Como vocês podem ver, de certa forma sempre fui movida a cafeína... hahaha Eu falo rápido, às vezes tenho movimentos balísticos (kkk) e sou meio ansiosa. Em relação ao sono, não tenho problema algum – tomar café quente antes de dormir é igual a leitinho quente pra mim. :laugh: Quando a Kaká me perguntou de uma resolução para 2012, eu nem tive dúvidas: cortar a cafeína da minha vida! Pelo menos nesse início quero que seja radical – quando estiver “curada”, vou me permitir um cafezinho social.

Fonte: newadventuresofchristine.blogspot.com


Então daqui a um tempinho vou compartilhando como está sendo esse desafio – e aguardo dicas de outras cafeinólatras e ex-cafeinólatras.
Será que eu consigo?!?!?!

Beijos!!!

23
novembro
2011

Ana e o Botox

Postado por Ana em Crônicas cosméticas, Geral

Sério que nem eu acredito que sou eu mesma escrevendo este post!! Assim, todo mundo já ouviu falar em Botox, então dispensa apresentações. O seu uso começou e ainda é muito utilizado para tratar algumas doenças, como o espasmo patológico das pálpebras. Já escrevi aqui também sobre o Botox profilático, como aliado na prevenção de rugas. Outro uso legal do Botox é para fazer um “lifting de sobrancelha“. Minha primeira experiência foi justamente para este último fim.

Dia desses no trabalho a super especialista em pálpebra olhou pra mim e disse “óh, ta aí uma sobrancelha boa de levantar“. E pra tirar isso da minha cabeça depois? :laugh: Nunca tinha parado para pensar nisso, mas fui reparar e elas eram meio retas, me dando cara de sono/tristeza no meu estado “rosto relaxado”. Foi aí que dia desses sobrou um pouquinho do Botox usado nos pacientes (que se não fosse usado iria pro lixo) e a mesma pessoa já foi oferecendo para aplicar em mim. O que eu não faço para não ter desperdício, né? :laugh: E não tem como negar um trem que custaria uns 1000 putos né? hhahahaha Existe um certo estigma em torno de Botox, mas é impressionante o tanto de gente que faz. Ninguém sai falando, mas muuuuuuita gente aplica. Fofoqueiras de plantão, podem prestar atenção!

Procedimento

Recebi uma picadinha abaixo de cada sobrancelha, em lugar estratégico determinado pela dotôra. Super rápido, quase sem dor. Não pode massagear o local, nem fazer exercício físico nem deitar por 6 horas. Aí o efeito começa a aparecer de 24-48 horas e dura de 6 semanas a 6 meses. Vamos ao aguardado resultado???

E aí, meninas, gostaram??? :laugh:

.
.
.
.

Tá bom, brinquei um pouquinho com vocês. O resultado verdadeiro foi o seguinte:

A foto de baixo é de 4 dias depois da aplicação. Meu corpo é resistente à medicina ocidental, só pode! Cadêeee meu lifting?? hahahaha !! Ignorem o efeito da sobrancelha há 2 meses sem fazer entre uma foto e outra, mas ainda acho que se bobear ainda deu uma caidinha. Fala sério, né gente, eu mereço ou não uma série de livrinhos com minhas trapalhadas? Bom, pelo menos foi de graça e de graça até injeção na testa, né? Aqui, quase literalmente! Daqui a 6 meses tô normal!!!! kkkkk

Só para lembrar que tem que ser feito por médico (e qualificado). E mesmo assim às vezes não funfa.

Beijos!

20
novembro
2011

Meus brincos de vovó

Postado por Ana em Crônicas cosméticas, Geral

Minha relação com brincos é meio truculenta, desde criança. Ô coisinhas que já me causaram transtornos, viu?

Fase I – sem furos na orelha

Quando eu nasci não tive a sorte de ter minhas orelhas furadas, porque minha mãe ficou com dó de mim. Assim, ela não teve dó de deixarem furar as orelhas da primeira nem da segunda filha, mas aí, por algum motivo, ficou com dó de mim. Grr. Passei a infância toda ganhando brinquinhos no aniversário e os repassando para minha irmã. Já não bastava minha pouca-telhice me fazendo parecer um menino, ainda não podia usar brincos. :laugh:

Fase II – a mega alergia

Após passar a pré-adolescência usando brincos de pressão em festinhas, só aos 14 anos juntei atitude necessária para ir até uma farmácia furar as “zorêia”. O que eu não contava é o tanto que morreria de “alergia” aos brincos (dermatite de contato, aquela conversa toda). Foi uma época de terror, porque eu insistia em usá-los para o furo não fechar. Os brincos que me dão alergia são muito variáveis, sabe? Meio imprevisível – já tive alergia a jóia, mas alguns brinquinhos de feira hippie não me causavam reação nenhuma. Aprendi depois de mais velha a usar pomadinhas antes de brincos que sabidamente me davam alergia e isso facilitava a coisa.

Fase III – Brinquinhos & São Longuinho

Não gosto mesmo de brincões – além do peso, enroscam no meu cabelo. Por isso, faz alguns anos que só uso brinco pequeno. Uso no máximo esses que ficam um pouquinho “balançantes”, mas nada que por si “componha o visual”. O problema é que sou muito desorganizada e todos acabam parando no universo paralelo junto com as gominhas. Então de 6 em 6 meses compro brinquinhos novos. Claaaaro que, já que São Longuinho não me ajuda, eu nunca compro jóia (haja grana). Nos últimos anos tenho comprado meus brinquinhos na Rommanel, porque são banhados a ouro e não têm níquel (que acho que é o vilão da minha alergia). Sou muito feliz com eles – têm o preço maior que de bijou, por volta dos 40 reais o par – mas têm uma qualidade excelente e garantia (infelizmente, garantia contra universo paralelo não existe, snif) . Acabei de comprar mais 4, já vou começar a usá-los essa semana… 🙂

Tá parecendo jabá, né?? hehe Quem dera!! :laugh:

Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 11 de 1978910111213141516