13
fevereiro
2017

Três dicas de papelaria e uma de produtividade

Postado por Ana em Coisas da Ana, Fofo

Eu tenho uma forma talvez diferente de usar o instagram – tem o meu “de verdade” onde posto fotos e sigo contas de parentes, amigos, colegas, ou perfis com os quais me identifico muito. Nesse entro quase todo dia. E tenho outras contas que divido por categorias onde não posto nem comento nada, fake mesmo. Tipo um para seguir celebridades e blogueiras – entro tipo uma vez por semana para ver as “boas novas”. E recentemente criei um para seguir perfis de coisas fofinhas – gosto pouco, né? Nesse eu entro quanto tá sobrando muuuuuito tempo, kkkkk! Mas foi assim que mega por acaso conheci o mundo dos “studygrams”. Vocês acreditam que até isso existe, gente? São perfis dedicados a estudos e papelaria. Sei lá como comecei seguindo um monte de conta de língua espanhola, as “opositoras” (que depois finalmente entendi que isso quer dizer “concurseiras”). Era opo-isso, opo-aquilo. Comecei a partir daí a achar uns perfis interessantes, apesar de serem um tanto monótonos (postam sempre as mesmas coisas, fotos de canetinhas e resumos).

emmastudiesPor exemplo, @emmastudiess – se você seguir esse é só ir seguindo as sugestões do instragram e logo se afogará no mundo dos studygrams

Acho que 90% são uns 15 anos mais jovens que eu, mas dizem por aí (no caso, EU DIGO por aí hihihi) que gosto por papelaria não tem idade. Isso tudo foi para explicar como achei meus “novos” artigos de papelaria. Eu também estou tendo que estudar muito para uns objetivos esse ano – e como não sobra muito tempo, estou fazendo o esquema Pomodoro de novo. Não é fácil, gente, “pomodorizar” às vezes minhas únicas 2 horas livres do dia. Mas se tem uma coisa que me ajuda muito e me ENCHE de ânimo são coisas de papelaria. Por exemplo:

Canetinhas Zebra Mildliners

mildlinerszebra1

Essas canetinhas marcadoras japonesas são a sensação dos concurseiros e estudiosos. Tanto que comprei na Amazon para ver “what all the fuss is about“. Elas tem dois lados, um com marcador grosso e do outro tem um marcador fino. Isso não é novidade, eu mesma já tinha umas canetinhas japonesas que comprei em Milão que também têm dois lado. Bom, mas são realmente uma gracinha, cores pastel e tal. Mas confesso que a Stabilo não fica muito atrás não. Até porque agora também existem Stabilos pastel.

mildlinerssample

mildlinerszebra2

Caderninhos da Staples

O que eu realmente AMEI alucinadamente foram os caderninhos da Staples. Também comprei na Amazon.

staples2

staples3 O mais legal é que você compra e pode montar como quiser. Parece um fichário, mas a diferença é que o “espiral” do meio não abre! As próprias folhas é que têm um esquema de encaixar nele, é muito legal!

staples1

Já vem com 60 folhas, mas comprei refis também, bem como divisórias separadas. Por enquanto os dois que tenho são tamanho A5, mas também tem A4 para vender. Um uso pro italiano e outro para estudos de oftalmo. As folhas são um pouco mais grossas que folha de caderno normal, de forma que a canetinha não marca atrás. Virei muito fã desses cadernos!

Planner

plannner1

Em 2015/2016 considerei diversas vezes fazer um bullet journal. Mas daí pensei que seria mais uma coisa para gastar tempo e me torturar no background porque não consigo fazer direito. Mas ao menos ter um planner seria legal. Acabei comprando esse da Mossery por influência dos studygrams. Gostei muito da divisão.

planner2

Mas olha, por mais que esteja adorando ter um planner novamente (principalmente um com a capa personalizada), tem duas coisas que não gostei nele: a capa não é plastificada e já está meio suja. E o pior: veio faltando uma semana de março. Vê se pode!??? Ano que vem vou me organizar e comprar a Brastemp dos Planners: o Filofax. Então a minha dica não é o Planner da Mossery, mas sim um da Filofax, hahaha! Dizer que Filofax é só um planner é sacanagem – dá pra usar de mil formas, como caderno, planner, bullet journal … Já tem um tempo que namoro, já peguei vários na mão, amo, mas sempre pão-durei então ficou pra 2018.

Dica extra sobre produtividade: Recebo mensagens de pessoas me perguntando como consigo fazer “tanta coisa” (eu sinceramente acho que eu poderia melhorar muito ainda). Mas se tem uma coisa que me ajuda muito é sempre planejar a semana seguinte uma semana antes. Óbvio que não planejo tudo, mas planejo sim as coisas que considero como obrigação (nem todas as obrigações são ruins, diga-se de passagem). Deixar nossas decisões pro “acaso” não costuma dar muito certo. Eu começo a semana já sabendo que dias eu irei à academia, o que irei comer, o que irei estudar e quando, e por aí vai … Imagina a Ana recém-saída do trabalho decidindo se vai pra academia ou não? Ou a Ana faminta no supermercado decidindo o que vai comer? Entendem? Talvez vocês gostem de viver mais espontaneamente que eu – e não julgo – mas isso terá o seu preço para a sua produtividade, sabe? Não precisa ter planner pra fazer isso, apenas um pedaço de papel (ou boa memória hehe). Fica a dica!


Beijos!

30
dezembro
2016

5 resoluções de ano novo

Postado por Ana em Coisas da Ana

Ano-novo é aquele sentimento de segunda-feira multiplicado umas 50 vezes! Pelo menos eu sempre resolvo “mudar” algo às segundas e, em maior grau, a cada ano novo. Cada época da vida é diferente. Lembro que durante os anos de escola, abria um caderno novo e pensava “agora, vai!!!”. Mas a verdade é que, à medida que os dias e meses iam passando, a letra ia virando um garrancho e o caderno aquela zona. Nunca tive caderno bonitinho na escola, rs! Mas o lado bom é que aprendi e, depois na faculdade consegui vez ou outra. A vida é assim: a gente tenta, tenta, tenta e uma hora vai!!!

newyearcoroa

Para 2017 tenho, na verdade, cerca de 15 páginas de resoluções, umas mais realistas e outras menos. Algumas já tentei outras vezes e falhei, enfim! Sei que cada uma tem as suas, mas caso queiram ter uma idéia de coisas para mudar, separei 5 resoluções minhas para 2017 para tentarmos realizar juntas – conceitualmente simples mas de potencial impactante!

1) Não usar celular na cama nem à mesa

newyearcel

Isso tenho feito há um tempo, com eventuais falhas, é verdade. Tem alguns efeitos colaterais interessantes: você acaba lendo mais à noite, acaba conversando mais com as pessoas… Até mesmo celular em cima da mesa do restaurante acho que tem que ser abolido – a não ser que estejamos esperando uma ligação importante, não faz o menor sentido!

2) Prestar mais atenção no branding pessoal

Depois conto mais sobre isso, mas em 2016 por acaso eu me interessei por esse assunto. Mas o pior é não coloquei muito em prática o que aprendi – só li muito a respeito. Mas acho que cada um de nós é uma marca, independente do que fazemos, e temos que cuidar dela com carinho. Por exemplo: cuidar da aparência (ao menos um asseio), reclamar menos, não fofocar, mais atenção ao que publica na internet (guilty! Meu twitter é um desastre pro meu branding rsrsrsrs).

3) Ouvir mais música

Durante a maior parte da minha vida eu tinha simplesmente o hábito de colocar músicas para ouvir. Comprava um CD e ouvia até quase furar! Atualmente, a música tornou-se mais um pano de fundo – geralmente ouvida no carro ou enquanto se faz outra coisa. Parece não sobrar tempo para ela. Um domingo há uns três meses coloquei um CD (no caso, era Guns n Roses) para tocar na sala e não fiz nada além de ouví-lo. E pude dessa forma boba recordar da alegria que a música traz e como esse hábito se perde no dia-a-dia. E tenho sempre parado para ouvir algum CD ou mesmo artistas novos – sentada numa poltrona de casa na qual eu não sentava há séculos. 🙂 Então em 2017 quero talvez ver menos Netflix no tempo livre e ouvir mais música!

4) Revelar fotos

newyearalbum

Essa eu já comentei! 🙂 Estava pensando no quanto é imperdoável termos álbuns de fotos dos anos 80 mas não termos dos anos 2010+. A gente tinha que comprar aquele filme Kodak amarelo, enfiar na máquina, fazer mil fotos às cegas, levar para revelar e esperar, pagar caro. E ainda montava o álbum de bom grado. Eu tive meus momentos áureos com scrapbooks de fotos de algumas viagens na época da faculdade, mas depois nunca mais fiz. Chega! Agora vou ter um álbum por ano! Não precisa ter trocentas fotos. Mas o the best of mesmo. Até para lembrarmos do que fizemos e do que aconteceu esse ano. Melhor que só ter registros nos timehops da vida! Comprei para 2017 esse no Amazon e gostei bastante! É grandão, de pregar as fotos (comprei umas fitas adesivas pra foto junto) e dá para escrever, fazer meio scrapbook se quiser!

5) Acumular menos

Eu nunca comprei tão pouca coisa supérflua em minha vida adulta como em 2016! Doei muito mais do que comprei, meu armário e penteadeira ficam vazios, bem arrumados e só com o que preciso. Pensei 10x antes de comprar cacarecos novos. Ficou claro para mim que não preciso de 50 pares de sapatos, 100 esmaltes e 30 calças. E que repetir roupas (limpas hehehe) é tudo de bom! Mas ainda posso fazer melhor e quero, em 2017, acumular menos ainda!

E aí? Gostaram de alguma? Por fim, desejo a vocês um 2017 maravilhoso!

Beijos de Stuttgart

27
dezembro
2016

Meu Natal na Alemanha

Postado por Ana em Alemanha, Coisas da Ana

Aqui o feriado de Natal inclui o dia 26 e devo dizer que fiquei 72 horas comendo sem parar. Daí hoje já voltei à labuta e daquela temida forma que assombra feriados e dias entre feriados: você trabalha o dobro porque o mundo todo está de férias e daí você tem que dar conta de tudo. Não me refiro só aos colegas, mas aos outros profissionais da região. Mas enfim, sobrevivi e estou aqui para contar a história do Natal! 🙂

Resumão das tradições de Dezembro

O Natal aqui tem muitas particularidades – para começar, todo o mês de Dezembro é cheio de coisinhas natalinas. Tem a Coroa de Advento – em que você acende uma vela por domingo de Advento- eu adoro, mas esse ano só fiquei 1 domingo de dezembro em casa e acabamos não comprando. 🙁

natalkranzAdventskranz

Tem o Calendário de Advento, onde você abre uma janelinha por dia de dezembro até o Natal e ganha uma surpresa (pode ser chocolate, chá, qualquer coisa). Mandei pros meus sobrinhos mas ainda não chegou em BH, snif! 🙁 Tem o dia de Sankt Nikolaus (06/12), em que ganhamos chocolates (sim, eu ganhei MTO chocolate) geralmente em formato de papai Noel. Tem as festas de Natal de todas as firrrrrmas que, aprendi a duras penas, ao contrário do Brasil, é tipo coisa séria mesmo, não pode faltar! hahahaha Tem os biscoitinhos natalinos, que esse ano não assei porque já tava muita gordice na minha vida e desisti.

natalplatzchenPlätzchen

Tem a incansável troca de presentes. Disso aí não sou muito fã não, mas trocar presente aqui é coisa séria. Nem sempre a gente precisa trocar, acabamos simplesmente recebendo muita coisa também. Tenho aqui, para confirmar, a geladeira cheia de birita que ganhei de pacientes – e altas muito interessantes, coisas típicas de países, tipo um cachação da Polônia. Daí tem os Mercados de Natal também, com souvenirs, comida deliciosa e os famosos vinhos quentes (“Glühwein“, amooo) – infelizmente foram manchados nesse ano pelo que ocorreu em Berlim. Sem querer pagar de Mãe Anacristinah, eu super estava prevendo algo assim, tanto que nem fiz muita questão de ir no Mercado aqui esse ano. E nem deu muito tempo, porque eles fecham 20:30 da noite. Fui um dia, peguei um Glühwein e saí correndo, ainda comentei com meu marido que não me sentia bem em aglomerações nessa época em que estamos vivendo. Devo ser sincera que esperava que fosse ter algo assim na França, pois vira e mexe frustaram planos de atentados nos mercados franceses – mas acabou sendo em Berlim mesmo. Freiburg, em sua rota internacional, cidade muito multicultural – apesar de pequena, não coloco muita fé em sua imunidade não.

Como costuma ser o nosso Natal aqui

Claro que, tal como no Brasil, cada família tem sua tradição, mas pode-se traçar uma tendência geral. A maioria das famílias aqui faz fondue ou raclette na noite do dia 24. Devo dizer que sou fãzona de fondue, não só por ser delicioso mas porque consigo ficar 4 horas comendo sem parar (no nosso caso, tem carne de boi, porco, frango, salmão, bacalhau, camarão e cogumelo – tudo isso para mergulhar no óleo ou numa espécie de sopão fervendo, nham nham nham). Eu prefiro assim porque na ceia normal, faço um prato e já estou satisfeita. Ou, no Brasil, nem isso – ano passado estava tão quente em BH que minha irmã cozinhou maravilhosamente bem e eu não tive vontade de comer nada. Outra coisa típica aqui é que a árvore de Natal é “de verdade” em 99% dos casos, de forma que são montadas um pouco mais tarde – se encontram pinheiros para comprar geralmente a partir da segunda quinzena de dezembro. Elas trazem o dito “cheiro de Natal”, hahaha…

natalarvore

Meus sogros montam no dia 24 e desmontam no dia 06! Ah, costuma ter um dia específico para desovar os pinheiros velhos na calçada. Uma parte que eu amo em passar o Natal aqui é a cantoria. Isso na nossa família, viu, sei que não é em todas. A gente geralmente canta “Oh du fröhliche” e “Stille Nacht” (Noite Feliz). Aqui, a dita “ceia aos moldes brazucas” costuma ser o almoço do dia 25. Mas não é lá muito aos moldes brazucas. Para começar, nunca vi família fazendo peru (pode ser que tenha). Tanto os alemães quanto os meus três professores de italiano acharam muito engraçado quando contei que no Brasil tem peru no Natal. Principalmente os italianos, deram gargalhada. Não consegui entender o porquê, mas imagino que é por não ser uma carne considerada especial. Sei lá! Aqui as mais comuns são pato, ganso ou outra qualquer diferente. Dessas duas aves eu não gosto, credooo detesto ganso – sou mil vezes mais o peruuuuu! Dessa vez tivemos carne de veado – eu sou muito fechada pra carnes, principalmente carnes novas – a de veado foi comível, tipo uma carne boa sim. Mas eu sinceramente sou mais do time dos acompanhamentos.

natalceia

Os acompanhamentos, aliás, foram mais alemães impossível: couve-de-bruxelas, repolho roxo ao suco de maçã, essas bolotas de batata (se chamam Klöße ou Knödel) com molho . Tinha também umas peras com geléia. Aqui, o dia 26 é também feriado e fica todo mundo jiboiando pela casa. Minha sogra, que é típica alemã do pós-guerra, se orgulha em criar novos pratos com os restos dos dias anteriores – e ela faz isso muito bem – estava uma delícia.

Já colocando a resolução em prática

As fotos para ilustrar esse post foram um feliz acaso. Uma das minhas resoluções para 2017 é tirar mais fotos – e revelá-las. Minha câmera principal estava até com teia de aranha, mas peguei e levei. 🙂 Já até comprei o álbum para 2017 na Amazon – não vou revelar centenas de fotos, mas quero algumas que representem bem o ano.

O “culo” do gato

natalgato

Para terminar, tenho que dividir com vocês o que era para ser a “minha foto do Natal 2016” – falei “tira uma foto minha com a Mitzi”. E daí deu nisso – como diz minha irmã, “só vejo fiofó* nessa foto”.

*a palavra fiofó foi usada aqui como eufemismo para a palavra mais adequada à situação.

E como foi o Natal de vocês?

Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 5 de 2712345678910