10
julho
2014

Testei – removedor de esmaltes “Quick & Easy” da Essence.

Postado por Ana em Unha

E aí, todo mundo recuperado da naba de terça? Pra mim foi particularmente difícil, até o meu chefe perguntou “Frau fulana, o que aconteceu ontem?“. Minha resposta foi: “Querido Prof. Dr. Dr. Chefe, antes a Alemanha do que a Argentina”. Num é? 🙂

Eu sempre tive curiosidade de testar esse tipo de removedor de esmalte em que você enfia o dedo, gira e voilà. Mas nunca tinha comprado porque em casa, mil vezes tirar do jeito tradicional! Mas como tenho feito muitas viagens de final de semana e já deixo até uma bolsinha separada com as coisas, resolvi comprar um desses. Ele é perfeito para isso mesmo – quando você viaja e não quer levar removedor + algodão.

quick1

Bom, esse especificamente é da Essence, uma marca de bom custo-benefício presente mundo afora, aqui facilmente encontrada nas lojas DM. Tem na América do Sul quase toda, mas no Brasil não, sei lá o motivo. Sei que é chato eu falar de um produto que a maioria não vai achar pra comprar fora de viagens, mas infelizmente não tem muito como eu fugir das marcas que estão ao meu redor. Maaas a notícia boa é que em relação a esse tipo de produto acho que a marca é irrelevante, imagino que todos devam ser iguais: espuminha + removedor de esmalte.

quick2

Este particularmente é muito cheiroso. Para testá-lo de verdade, eu usei um esmalte vermelhão da P2, na foto já gasto de 6 dias! Como eu imaginava, não bastou só dar uma giradinha do dedo lá dentro igual eles falam no rótulo. Se não colocar pressão do dedo contra a espuma, não sai nadinha. Nem tô reclamando, eu já imaginava, milagres não existem.

quick3

Então você fica friccionando a unha lá dentro, quase como se estivesse tirando com um algodão embebido mesmo. Com esmalte claro é bem mais fácil de remover. E, claro, se você deixar o dedo “de molho”alguns minutos lá dentro antes de girar, o esforço final será menor, mas daí gasta muito tempo. Os cantinhos eu não consegui remover, ficava fazendo contorcionismos com o dedo e nada. Mas nada muuuuito incômodo ao vivo e a olho nu. Pra emergências tá ok.

lcrate3

Conclusão: funcionou e tirou quase tudo do esmalte vermelho, sobraram os cantinhos. O esforço para remover foi maior que o anunciado.. É um produto dispensável, mas uma boa firula para sua necessaire de viagem!

Alguém aí já testou este ou de outra marca? O que achou?
Beijos!

21
junho
2014

Testei: kit “gel nails at home” da Essence

Postado por Ana em Unha

Eu postei aqui que o custo-benefício de fazer unha por aqui tá valendo zero a pena. Mas vou confessar que quando vejo unhas feitinhas no instagram me dá uma invejinha! E minha irmã ainda me manda as unhas dela recém feitas na minha manicure favorita só pra fazer bullying. É chutar cachorro morto isso ! hehe

Fiquei aqui pensando e resolvi experimentar algo novo. Então pensei em um daqueles kits gel-like, de fazer em casa. A promessa é que as unhas duram uns 7 dias, o que é bem mais do que as minhas têm durado. Escolhi o kit da Essence, que é uma marca acessível por aqui, mas várias outras têm um parecido (como Sally Hansen).

O kit consiste de

essencegelglobal

– um cleanser (nada mais que um lcool líquido com cheirinho)
– um primer
– uma base em gel
– a maquininha para secar de LED (cabo é USB)
– top coat gel

essencegelmaq

Daí você usa um esmalte normal mesmo, sem ser em gel. Eles falam pra ser qda Essence, claro, mas é conhecimento geral que na verdade pode ser de qualquer marca.

Preço: No fim das contas nem ficou barato, não lembro ao certo mas deu uns 40 euros (˜120 dilmas) essas coisas todas. Mas fazer o quê, fui atraída como uma mariposa em direção à luz no fim do túnel.

Primeira tentativa & Passo-a-Passo

Esmalte: Renda da Risqué
Técnica: “mista”, tentando acertar a unha o máximo possível e tirando eventual excesso com palito + acetona.

O passo-a-passo:

1) Lixar e tirar (ou não) cutículas como de costume

essencegelpasso1

2) Remover gorduras e impurezas das unhas com o cleanser.
3) Passar uma camada fina do primer. Ele seca muito rápido
4) Passar uma camada generosa da base em gel. Limpar excessos que possam ter saído a unha.
5) Secar com a maquininha.

unhasgeluv
6) Passar o esmalte e limpar eventuais sobras
7) Com o esmalte seco, passar o cleanser de novo
8) Passar o top coat em gel
9) Secar com a maquininha
10) Com tudo seco, passar o cleanser de novo

Sensação inicial? Quem inventou “fazer unhas em gel” ODEIA mulher, só pode. Parece brincadeira esse tanto de etapa, sério!

Agora uma parte menos emotiva da análise:

Esse kit novo da Essence vem com a maquininha de LED/UV menor que da geração anterior. O tempo de cada secagem é só 10 segundos, MAS é dedo por dedo. Zzzzzzz … E minha experiência mostrou que os 10 segundos não secam não. Tinha que deixar pelo menos 3 ciclos em cada unha para poder secar (secar ao ponto de você encostar na polpa do dado sem estragar). Achei melhor e mais fácil fazer uma mão de cada vez, como li nos tutoriais.

Resultado: gastei uma hora e meia pra fazer as unhas, que é tempo pra caramba ao meu ver. Mas valeria a pena se durasse mais. Mas o que aconteceu foi que achei que ficou tão mal-feito que preferia minha unha ao natural, não aguentei e retirei tudo duas horas depois.

essence1try

Retirei do jeito que eles sugerem, que é simplesmente puxando. Foi tranquilo, mas imagino que não seja o melhor jeito de tirar o gel das unhas. Mas tava com preguiça e foi assim mesmo.

A segunda tentativa

Esmalte: Croché da Impala
Técnica: brasileira, passando esmalte sem preocupar em respeitar a unha e limpando com palito + acetona depois

Fiquei horrorizada e envergonhada com o resultado – novamente, arranquei tudo assim que secou. Não antes sem humildemente tirar uma foto horrenda para colocar aqui.

second

Foi uma trabalheira tão grande que pensei em nunca mais testar. Mas… precisava fazer pelo menos uma vez para deixar na unha e ver quanto tempo ia durar.

A terceira tentativa

Esmalte : warm & toasty turttleneck da Essie.
Técnica: européia, tentanto MUITO só acertar a unha com os produtos e tirando eventual sobra com caneta “color correcting pen da P2”.

Ficou razoável o bastante para que eu *aguentasse* não tirar e ver se dura mesmo. Mas sinceramente, esteticamente muito pior do que a manicure clássica que eu costumo fazer. Um adendo é que o top coat encolhe após passar no LED, por mais que você mire nos cantinhos o efeito final é de uma camada final irregular.

Quem quiser ter esse kit, o importante para ter a maior chance de sucesso é:
1) não fazer a unha brasileiramente, ou seja, tentar acertar o máximo tudo só na unha, e o que passar tirar com canetinha de removedor
2) evitar ao máximo palito +algodão, parece que o gel tem um tropismo maior para fiapos
3) muita atenção ao passar a base e o topcoat em gel: se ficar irregular, as áreas onde a camada estava mais grossa se sobressaem muito.
4) não se esqueça de passar o cleanser (“álcool”) no final, pois senão fica preguento e estragável por horas.

A pergunta mais importante: quanto tempo durou?!

Bom, tomei banho, acordei no dia seguinte e estavam todas as unhas 10x mais feias, e algumas já descascadas.

finalnnail

Desisto! Um troféu joinha para quem consegue um bom resultado com esse kit!

lcrate0

Conclusão: não gostei, achei ruim de verdade e se eu visse uma amiga colocando o kit na cestinha eu pulava na frente e impedia a compra.

Beijos

29
abril
2014

Kate não pinta as unhas?

Postado por Ana em Alemanha, Celebs, Crônicas cosméticas, Unha

Eu vi muita gente criticando a Kate Middleton por não estar de unhas pintadas durante o seu “Tour” pela Oceania, onde era alvo de um milhão de fotos por minuto. “Mas ela é princesa, o que custa ir à manicure?“. Claro, as críticas vieram com maior furor de minhas compatriotas.

kate2

Para falar a verdade, no Brasil ou fora dele, ninguém tem nada a ver com a unha alheia, mas há também uma questão cultural que talvez muitas não conheçam. Na Europa, em especial aqui na Alemanha, noto que as mulheres não pintam as unhas nem para festas. No meu casamento até minha madrinha alemã não estava de unhas pintadas. Há sim algumas garotas que são muito vaidosas, pintam as unhas, usam muita make, delineadores pesados – geralmente são meninas mais novas, às quais os alemães se referem como “chicas” (se é uma denominação preconceituosa ou não, ainda estou investigando). Ou seja: o padrão por aqui é não se empetecar. É tido como “high class” não se empetecar. Eu, particularmente, prefiro me arrumar mais, mas o importante é parar de achar as pessoas piores só porque elas têm hábitos e costumes diferentes. Do ponto de vista do outro você pode ser uma perua-baranga enquanto SÓ você acha que está arrasando.

De novo em relação à Kate: o nível de importância que ela dá às unhas é tão grande (só que não) que olha como elas estavam marromenos no dia do noivado oficial, em que o mundo todo fotografava suas mãos.

fingerkate

Se fosse eu, ia estar usando Mavala há 6 meses sem falha e ia direto da manicure para a coletiva de imprensa. hahaha Bom pra ela, libertador! Eu vejo algumas blogueiras famosas que, quando estão no meio de uma viagem pro c* de Judas e aparecem com unha lascada no instagram são completamentes escrachadas nos comentários. Gente, isso é quase uma escravidão! Escrava de um pedaço de queratina véia ainda, aí não dá! Extremos não são saudáveis…

Vou contar um segredinho: eu estou quase desistindo de ter as unhas feitas e pintadas no dia-a-dia. Não se trata de “revolta” nem nada disso, é mais por praticidade mesmo – não digo virar Zé do Caixão. Mas estou pensando em mantê-las apenas curtinhas, hidratadas com Cerinha da Granado e lixadas. E fazê-las só quando eu tiver vontade mesmo, sem ser por obrigação de estar bonequinha. Já sei que unhas grandes e vermelhas não serão bem vistas no hospital; além disso, aqui eu coloco esmalte e não dura dois dias – banho muito quente e tarefas domésticas, talvez (e olha que tenho lava-louças) expliquem. Daí sinto que estou jogando meu tempo no lixo em ficar uns 50 minutos fazendo eu mesma minhas unhas + o tempo de mãos inutilizadas enquanto elas secam, para depois não durar nada, ainda por cima em uma sociedade em que não dão a menor bola para isso. Claro que quando surgir uma festinha ou evento especial não vou resistir – afinal, soy chica latina. Para constar: manicure aqui é mais caro mas não é impagável igual falam por aí, o problema é você pagar mais caro para fazerem suas unhas pior do que você faria, sem tirar cutículas e tal 🙂

Maaaaas… se aparecer uma manicure brasileira aqui na esquina, esqueçam o parágrafo acima! 🙂

O que vocês acham disso tudo?

Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 6 de 18234567891011