17
janeiro
2010

Sabonetes íntimos – usar ou não?

Postado por Ana em Saúde

Olá queridos leitores, como vai essa força? Hoje vou falar um pouquinho de algo que está sendo um verdadeiro “boom” no mercado: os sabonetes e produtos para … er, bem, hum…produtos íntimos.

Qual é a verdade por trás destes produtos?

Apesar de todos conterem na embalagem os dizeres “aprovado por ginecologistas, a questão é polêmica mesmo entre os médicos. Mas a verdade seja dita: a maioria dos ginecologistas e livros da área são contra. Temos uma flora vivendo em harmonia nessa região. Qualquer coisa que cause desequilíbrio no local (uso de ducha interna, antibióticos, produtos diversos) pode fazer com que algum dos habitantes se “destaque” e cause uma espécie de rebelião no local. Um exemplo é a infecção fúngica conhecida como Candidíase. Não custa lembrar: sabonetes íntimos não são remédios e não servem para tratar nada. Outra coisa é que a maioria deles não altera o pH vaginal (ácido); contudo, suas várias substâncias podem produzir irritação local e alterar o equilíbrio, como mencionei. Conclusão: aqueles que não são perfumados nem com substâncias demais se equiparam aos sabonetes neutros, não causam bem nem mal.

Qual seria a verdadeira vantagem?

Muitas mulheres são inseguras em relação ao próprio corpo e, assim, esse tipo de produto pode servir para dar um up na auto-estima e diminuir a insegurança das mulheres em suas conjunções carnais (goxxxtaram do uso do portuguêiix? hahaha).

Marcas famosas:

Dermacyd, Vagisil (kakakakaka), Carefree, Intimus, Nivea…. Os preços variam de 10 a 25 reais.

Então qual é então a melhor maneira de fazer higiene íntima?

Eu sei que mulher adora um fru-fru e comprar produtinhos novos (se sei!) mas… o melhor para higiene é simples: água + sabonete neutro. É importante enxaguar bem, pois restos de qualquer sabonete podem causar irritação e alergias. Secar bem após o banho é importantíssimo, principalmente para evitar infecções fúngicas. Outras dicas : preferir calcinhas de algodão, usar lycra só esporadicamente. Usar o papel higiênico sempre de frente para trás e nunca o contrário e, por fim, evitar usar roupas apertadas demasiadamente, principalmente jeans. Esse é o beabá da higiene íntima. Qualquer coisa além disso é supérfluo, firula mesmo.

Caso queira acrescentar algo sobre o assunto, deixe um comentário. Abração e até o próximo papo bizarro !!! 😀

13
janeiro
2010

Birkin Bags – o alto preço do glamour

Postado por Ana em Moda

E aí, todo mundo escaldando curtindo o verão? Hoje vou falar de algo bem além da minha realidade, mas não por isso menos interessante !

Imagine uma bolsa que custa no mínimo 6 mil dólares. Agora imagine que, para gastar essa fortuna toda, você tenha que ficar cerca de 2 anos em uma lista de espera. Ou mais ainda: entrar em uma lista de espera para ser incluída na lista de espera.

Estou falando da Birkin, marca de bolsa da Hermès, loja francesa de artigos de luxo. O nome foi dado em homenagem à atriz inglesa Jane Birkin, hoje em dia menos famosa que a bolsa…rá !

Feita de couro dos mais variados animais (alouuu Peta), o preço pode chegar a centenas de milhares de dólares, caso seja feito de couro de crocodilo VIP 🙂 . O fascinante da Birkin Bag é que ela não somente é sinônimo de riqueza, mas de poder. Eu diria que é o Rolls-Royce das bolsas, até mais…! Achei esse vídeo no YouTube que dá uma idéia ótima de seu significado.

Como não poderia deixar de ser, virou referência na TV e vida real. Aparece em um episódio (6×06) de Gilmore Girls (quando a Rory a ganha de presente do abonado namorado Logan e não sabe o seu valor) e em um episódio (3×08) de Gossip Girl , quando a Blair puxa papo com uma garota na faculdade que tem uma Birkin Bag, enquanto ela está na lista de espera.

Por outro lado, na vida real, foi um verdadeiro bafafá quando roubaram a Birkin da Lindsay Lohan no Aeroporto de Londres. Tipo, parou tudoooo ! Fora que tinha 1 milhão de dólares em jóias dentro dela. o.O Não me pergunte como, mas conseguiram recuperar tudo e a devolveram para a dona. Quem pode, pode. A boa notícia é que se você for uma mega celebridade ou cliente antiga da Hermès, talvez você não precise esperar taaaanto para comprar a sua =D

Bom, é isso ! Acho que a história e o exagero ao redor desse acessório féxion são mais interessantes que a bolsa em si. Apesar de que, se me derem uma, eu não jogo fora (wouldn’t kick it off my wardrobe) ! rs…

10
janeiro
2010

Bronzeamento artificial – negócio arriscado?

Postado por Ana em Saúde

Principalmente no Brasil, diz a lenda que pessoa branquela têm aspecto doente. “Vai tomar sol, miniiina!!”: Essa, com certeza, foi uma frase muito ouvida por várias de nós ao longo da vida. Talvez, deste aspecto cultural, tenha se originado o grande sucesso de um procedimento estético bonitinho – mas ordinário : o bronzeamento artificial com ultravioleta.

O bronzeamento natural nada mais é que uma forma do nosso corpo tentar nos proteger da agressão causada pelo sol. Sendo assim, os japoneses estão certos e nós errados: bronze não é nada saudável.

O bronzeamento artificial em câmaras consiste em ficar deitado em uma espécie de acrílico transparente por onde passam luzes. As lâmpadas especiais geram 98% de luz ultravioleta A e 2% de ultravioleta B. Antes, só a B era considerada vilã. Hoje se sabe que a A também é responsável pelos vários riscos potenciais à saúde, como o surgimento de câncer de pele. A sessão dura cerca de 15 minutos e custa, em média, 20 reais.

Vantagens: Se não existissem vantagens, não teria feito sucesso, neamm? O bronzeamento artificial não descasca e não oferece o risco de queimaduras, além de ser uniforme, gradual. Além disso, os raios UV são importantes na formação da vitamina D , que por sua vez é essencial para a saúde dos ossos.

Desvantagens: Envelhecimento precoce (assim como ocorre com quem toma sol demais) e surgimento de tumores de pele. Especialistas concluíram que o risco é 75% maior quando se utiliza a câmara de bronzeamento antes dos 30 anos de idade. A Skin Cancer Foundation (em inglês) dá 5 razões para desistir do bronze artificial. Lembro que 45 minutos numa câmara equivalem a 8 horas sob sol muito forte.

Bom para o Brasil ! Em novembro/2009, a A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibiu no Brasil o uso de equipamentos para bronzeamento artificial de finalidade estética que utilizam tecnologia de emissão de radiação ultravioleta.

Não tão bom lá fora: em países com longos invernos, como a Alemanha, é muito comum a prática de bronzeamento artificial. Durante o inverno, a maioria das pessoas têm o hábito de ir até duas vezes por semana a uma clínica de bronzeamento, onde cada sessão custa em média 5 euros. Branquinhos como são, boa sorte para eles… 🙁

Para quem gosta de pele bronzeada e não quer abrir mão da saúde, outras opções são:

– Bronzeamento a jato (Quem lembra do Ross?)
– Cosméticos, como o spray Dior bronze

Update com MUITA vergonha: a Justiça acaba de liberar o bronzeamento artificial no país hoje, 13/01/2010. Um grande retrocesso. (Notícia via @fuscaldi) E continua proibido… 🙂

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 3 de 41234